São amigas querendo te contar da vida de alguém, é o irmão que quer te falar da outra irmã, é o pai querendo só uma oportunidade a sós com você para lamuriar sobre alguém da família. O amigo de trabalho quer falar do chefe, o chefe quer dizer que viu a secretária dando mole para aquele funcionário casado. É você falando da sua prima e emendando a falar de sua mãe. A nossa vida está ocupada demais com tanto ti-ti-ti de coisas que são estritamente desnecessárias e fúteis. Estamos acercados de fofocas, notícias, mexericos, falatórios, discussões, disse-que-me-disse e por aí vai. E para quê? Por quê? O que é que este e aquele comentário nos trará de benefício? O que eu ganho com o que você me diz sobre alguém que não me condiz? Tenho orientado a célebre e maravilhosa frase que diz: “Isso não é da minha conta”, e para os que não se tocam, isto é, aquelas pessoas que não têm desconfiômetro existe a frase melhor ainda: “Isso não é da sua conta”. Parece que soa agressivo, mas não soa, porque a pessoa que se dá ao direito de falar de alguém (e geralmente são comentários que depreciam este alguém), em seu subconsciente está aberto a ser repelido automaticamente, ou seja, seu cérebro está auto-avisado de que poderá haver uma reação adversária. Na educação de uma criança que quer saber muito sobre o que compete somente à pessoa adulta (pai ou mãe, por exemplo), a melhor resposta é: "Filho, isso não é da sua conta. Aproveita e vai para seu quarto guardar seus brinquedos espalhados no chão". Esse ato, volto a dizer, parece ser grosseiro, mas não é, põe a criança no lugar dela como criança, tira dela o poder de cobrança (crianças não devem cobrar), e salva-a de ser a futuro próximo um adulto insuportavelmente carente, chato e controlador. Então a simples frase salvaria a criança no futuro? Sim, com toda certeza do mundo. O mesmo comportamento acontece a quem te pede dinheiro emprestado. Geralmente, somos nós quem ficamos constrangidos de negar o pedido, quando quem deveria ficar constrangido era o pedinte, mas sua mente está focada em testar seus limites e ver até onde você é capaz de sustentar um "não" e provavelmente você dirá "sim", por mais que você gema, murmure e faça caretas. A mente do pedinte está tão mais preparada para ouvir um sonoro "não", do que você imagina. Essa mente já tem 70% do seu "não" e você só tem que reforçar essa afirmativa em 30%. Acontece que você é pego de surpresa e na reação da pena espontânea você acaba validando os 100% com 30% de "sim". Outra coisa é se meter onde não é chamado e nisso eu tenho sido craque. Há dois dias estacionei meu carro na garagem do prédio onde tenho um escritório e lá estavam dois caras, dois três carros, sendo que dois estavam fazendo "chupeta" (que é a ação de emendar o cabo de força de uma bateria de um carro à bateria do outro carro). Vi que os dois homens não sabiam como lidar com a situação, e eu fiquei ansioso para me meter no cenário e até me destacar por ser sabido e tal. Pensei com meus botões: "Isso não é da minha conta" e continuei dizendo a mim mesmo: "Ninguém pediu minha ajuda", e subi ao escritório, onde fiquei por meia hora. Desci para a garagem e lá estavam eles do mesmo jeito. Geralmente, homens são solícitos uns com os outros e não custaria nada eu chegar e puxar papo com relação à partida do veículo. Mas é que eu faço isso sempre, perco meus horários, gasto meu tempo, e às vezes meu dinheiro. E novamente reforcei que isso não era da minha conta. Foi tenso, porque 70% de mim queria dar pitaco na vida dos caras, e 30% meu estava dizendo para eu cuidar da minha vida. Foi o que fiz, e por mais que eu tenha ido embora sofrendo por não estar sendo útil eu consegui superar essa carência de reconhecimento do outro em mim e segui minha vida.  Não é fácil fazer o exercício do "cuida da sua vida", mas é gratificante. Pense no quanto se viveria melhor se cada um cuidasse da sua própria vida, seria realmete impagável!

Publicado por Rodrih às 15:27 | Link do post
Pontos vermelhos = acessos no mundo!
VISTO POR
fast stats
Get Voip Service
Comentários
Rodrigo. Quero bem bem muitao! 
Ola..Aí vão algumas dicas...quando eu tinha 14 ano...
Oi Patrícia, obrigado por visitar o blog e compart...
Ando sendo devorada pelos meus mostros... preciso ...
Oi Ju, boa noite, vou procurar responder seus ques...
Obrigado Sarah! Gostaria que lesse os comentários,...
Olá Danielly, obrigado por vir ao blog se surpreen...
Caro Charles, obrigado por visitar o blog e compar...
Sr. Mário Malaquias, olá. Veja sobre a informação ...
Nossa, isso funciona mesmo, estou ate agora chocad...
- Bom Dia, Galera, me acabei de rir. Profundo a su...
Interessante
Amei, muito bom e muito bem explicado.
Aqui onde moro as pessoas dizem: "pick your battle...
Oi Juh, obrigado por acessar o blog e buscar nele ...
Boa noite! Estou estudando o comportamento humano ...
Infelizmente ainda tem gente para fazer isso e par...
Olá Gustavo, boa noite. Obrigado por comentar e co...
Estou estarrecida do tanto que estou fazendo tudo ...
Sr. Pedro Malaquias, eu havia postado a notícia so...
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar
 
Mensagens
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
17
21
22
24
25
26
28
29
30
blogs SAPO