Estava num site de relacionamentos vendo a cara das mulheres e arriscando um palpite da personalidade de cada uma delas. Geralmente são perfis falsos, muitas vezes de garotas de programa, outras de acompanhantes de luxo tentando dar o golpe do baú, ou arranjar de fato um casamento que as sustentem e as tirem dessas vidas, ou ter alguém de fato. Também têm aquelas que realmente querem um companheiro, outras necessitam de alguém para ter sexo, há aquelas que sabem que não têm a menor das menores chances de conseguir nem um extraterrestre para querê-las, algumas que não sabem o que estão fazendo no site, mas continuam, e tem as que possuem baixa autoestima e necessitam serem chamadas de gostosas e lindas, mesmo que suas fotos postadas sejam de quinhentos anos atrás, quando elas eram média ou altamente bonitas, e certamente não têm espelhos em suas casas para não verem a realidade de fato. Nesse universo insano e impuro, puritanas e ordinárias se misturam numa Torre de Babel transformando o espaço num Inferno de Dante Alighieri. Em meio a tantas belezas que causam extremo torpe em nossas almas - além das aberrações difíceis de acreditar que... enfim, deixa pra lá, então, eu recebi um pedido de amizade de uma belíssima mulher. De pronto já dei risada e pensei: "-Ah...tá... ãnh rãn..", depois eu pensei: "-Ah... fôda-se, por que não?", e respondi a cidadã depois de dois dias. Eu já sou escaldado com esse tipo de abordagem, principalmente porque observo tudo, do texto digitado até o fundo das fotos, se é um cenário montado ou montagem de photoshop. Mas depois de dois dias tocando a vida entrei no site e lá estava a beleza em pessoa. Olhei, reparei, fitei. Vi que não se tratava de nenhuma novinha apetitosa, mas de uma mulher já feita. Vi que ela não tinha errado no português, minha língua nativa, vi que parecia culta e elegante, então enviei uma saudação e uma pergunta de reflexão sobre o amor: "Olá Yuliya! Bem vinda ao meu universo de vontades. Você se importa de me dizer uma coisa, de como você interpretaria essa definição de Nietzsche, que disse: "Amamos desejar mais do que amamos o objeto de nosso desejo", então a moça me respondeu que eu passasse meu email para falar melhor comigo. Achei estranho ela não me responder o que perguntei, mas tudo bem, continuei e dei meu e-mail. Ela então me respondeu: 

 

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: <yuliyadream44@gmail.com>
Data: 15 de maio de 2014 14:59
Assunto: Tenha um bom humor durante todo o dia.
Para: rodrigocaldeira


Ola,este e Yuliya,lembra?voce deixou e-mail,aqui estou escrevendo para voce. como
voce? eu enviar fotos, o que voce preferiria me ver, me fale sobre
Me alguma coisa, e entao eu vou falar sobre mim mesmo. E eu quero dizer,
Eu tive que colocar para registrar o seu pais, porque eu
Russia nao conseguiu entregar, porque eu vivo agora na Russia. estou a procura de
Apenas um relacionamento serio e nao para jogos, como normalmente acontece em
Internet se voce nao pretende falar a serio e desenvolver
relacionamento, amizade, entao eu acho que nos nao estamos na estrada, como voce me disse
gostei das fotos e nao quero isso para brincar comigo. esperanca
ver a sua mensagem. Com um sorriso, Yuliya.

 

Exibindo joF75gsZ_GY.jpg

 

 

 

Então, quando eu recebi o e-mail e de cara vi que o português tinha mudado, já saquei a jogada, a mutreta e ri de novo, ri por raiva de mim mesmo, por ter me permitido cair nessa outra vez. Então respondi:

 


---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Rodrigo Caldeira
Data: 15 de maio de 2014 15:17
Assunto: Re: Tenha um bom humor durante todo o dia.
Para: yuliyadream44@gmail.com


Conheço esta abordagem.  Obrigado por tentar,  mas não posso retirar você do seu país. Se você quer dinheiro não vai conseguir nada com o Brasil. Golpe é crime. Bye


 

 

Não demorou muito recebi outro e-mail, este sendo tão dócil e humilde que pensei ter cometido uma injustiça:


---------- Mensagem encaminhada ----------
De: <yuliyadream44@gmail.com>
Data: 16 de maio de 2014 07:10
Assunto: Re: Tenha um bom humor durante todo o dia.
Para: Rodrigo Caldeira


Oi Rodrigo, uma mensagem incomum, mas eu nao entendia nada. 
se voce nao quer dizer que eu nao gosto ou poderia 
e dizer, eu nao sou pequeno. 
estranho que voce: (

 

Então respondi num português confuso, mas que, dependendo da tradução russa possa até dar mais sentido para o contexto:

 

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Rodrigo Caldeira
Data: 16 de maio de 2014 11:36
Assunto: Re: Tenha um bom humor durante todo o dia.
Para: yuliyadream44@gmail.com


Bom dia.  Um dia e-mail escrever por ela de Rússia e ela não saber resposta de email meu. Ela enviar email repetido vezes várias.  Não ter coerente texto.  Depois pedir dinheiro Rússia vir para Brasil. Ser golpe.  Ela não falar verdade eu não ser tolo. Outras palavras falar para o criminosso atrás de foto de mulher atraente: "VÁ SIFUDÊ HACKER SAFADO FELADAPUTA! Para tradução russa: Pegar parte da tora de árvore e introduzir seu anal até perder caminho de vossa residência, hacker sem escrúpulos e imoral filho de uma prostituta russa cara de Putin"


 

Desde então não recebi mais a resposta da bela Yuliya e essa personagem se excluiu do site de relacionamentos, certamente porque entendeu que eu denunciaria seu perfil. 

 

E para complementar essa informação toda, abaixo está uma reportagem do jornalista Jorge Roriz, sobre o tema que serve de alerta para muitos carentes homens idiotas apaixonados.


 

A matéria a seguir está no blog: http://jorgeroriz.wordpress.com/golpe-da-namorada-russa/

GOLPE DA NAMORADA RUSSA EM SITES DE RELACIONAMENTOS VIA INTERNET

 

YULA

RUSSA 2

russa3

russa4

russa5

russa6

russa6

russa7russa8

russa9

russa10

russa11

russa12

Reproduzo abaixo um texto que pode ser encontrado no sítio de Embaixada do Brasil na Rússia:

Golpes de relacionamento

INFORMAÇÕES SOBRE GOLPES DE RELACIONAMENTO

Muitos cidadãos brasileiros já relataram ao Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou ter sido vítimas de golpes ao estabelecerem contatos com mulheres russas ou bielorrussas em sítios eletrônicos de relacionamento na Internet.

Os chamados “golpes de relacionamento” atingem cidadãos de várias nacionalidades, que, ao buscarem travar contato e ter relacionamentos com supostas cidadãs russas ou bielorrussas pela Internet, tornam-se vítimas de armadilhas nas quais são levados a transferir somas de dinheiro para contas bancárias no exterior.

Normalmente, uma bela mulher, de falsa ou verdadeira identidade, após curto relacionamento por meio da Internet, demonstra interesse em visitar seu “amigo brasileiro”. Seguem-se, então, pedidos de envio de recursos financeiros, supostamente destinados à compra de passagens aéreas; ao pagamento de taxas de visto; à comprovação de condição financeira para o sustento durante a permanência no Brasil, mediante apresentação de dinheiro, em espécie, às autoridades consulares brasileiras e policiais de imigração; ao custeio de exames médicos e de seguros de saúde internacionais para a obtenção dos vistos.

Diante do problema, o Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou presta os seguintes esclarecimentos:

  • a) Portadores de passaporte russo não mais precisam de visto para viajar ao Brasil por períodos que não excedam a 90 (noventa) dias, dentro de períodos de 180 (cento e oitenta) dias. A isenção de vistos de curta duração foi estabelecida pelo “Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da Federação da Rússia para a Isenção de Vistos de Curta Duração para os Nacionais da República Federativa do Brasil e da Federação da Rússia”. O acordo está em vigor desde 7 de junho do ano corrente e pode ser acessado no endereço eletrônico http://brasemb.ru/uploaded/doc/BRAS-RUSS-VistosCurtaDur-port.pdf
  • b) Cidadãs bielorrussas precisam de visto para viajar ao Brasil. Atualmente, um visto de turista para cidadã(o) bielorrussa(o) custa cerca de 20 dólares;
  • c) Para a obtenção de vistos ou no controle das autoridades migratórias russas, bielorrussas ou brasileiras, não é necessária a apresentação de exames médicos, tampouco a apresentação de seguro de saúde internacional. O Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou apenas recomenda aos viajantes que vão ao Brasil, como medida de precaução, a aquisição de seguro de saúde internacional, o que não é obrigatório;
  • d) O Brasil não exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia para entrada no país. Apenas é recomendada a vacinação contra a febre amarela ao viajante não vacinado ou vacinado há mais de 10 anos contra febre amarela cujo destino sejam áreas de mata das regiões consideradas de risco. Mais informações sobre a doença e as áreas de risco podem ser encontradas na página eletrônica http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=29491&janela=1
  • e) Nos pedidos de visto e eventualmente em controles migratórios de aeroportos, as condições financeiras do viajante de manter-se em território brasileiro durante o período de estada são, de fato, analisadas. Exemplos de documentos que podem ser exigidos são extratos bancários, faturas de cartão de crédito, contracheques e cartas de empregador com informações sobre a função exercida e o salário. O Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou aceita, inclusive, carta-convite assinada por pessoa residente no Brasil, com firma reconhecida em cartório, na qual aquele que convida responsabiliza-se por seu convidado e compromete-se a arcar com todas as suas despesas no Brasil. A apresentação de dinheiro em espécie como prova de condição financeira para a viagem nunca é exigida pelas autoridades consulares brasileiras;
  • f) Tanto o Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou como autoridades migratórias aceitam reservas de bilhetes eletrônicos de avião feitas de qualquer lugar do mundo. As passagens podem ser, inclusive, reservadas no Brasil, em agência de viagens ou diretamente na Internet. Os bilhetes eletrônicos reservados podem ser enviados às cidadãs russas ou bielorrussas por e-mail.

Além dos esclarecimentos acima feitos, o Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou faz as seguintes recomendações para que os golpes de relacionamento sejam evitados:

  1. Evitar a transferência de somas de dinheiro a contas bancárias no exterior;
  2. Se a intenção é custear passagens aéreas para pessoa conhecida em sítio eletrônico de relacionamento, reservar bilhetes eletrônicos no Brasil, seja por meio de agência de viagem, seja pela internet;
  3. Não atender a pedidos de custeio de exames médicos em território russo ou bielorrusso;
  4. Instalar e solicitar da parceira russa ou bielorrussa do outro lado do computador a instalação de câmera própria para computador, popularmente conhecida como web cam. Muitas vezes as fotos enviadas pelas supostas cidadãs russas ou bielorrussas revelam-se falsas. Antes da realização de qualquer gasto, é recomendável conversar de viva voz com a cidadã russa ou bielorrussa vendo-a, o que é possibilitado com o uso da web cam. Essa parece ser a melhor maneira possível de certificar-se da identidade de pessoa conhecida pela internet.

O Setor Consular da Embaixada do Brasil em Moscou não está legalmente habilitado a verificar nem a identidade de cidadãs russas e bielorrussas, nem a veracidade de seus documentos, tampouco a realizar investigações de qualquer espécie. Assim sendo, é aconselhável que, em caso de dúvidas, sejam lidos atentamente os esclarecimentos e seguidas as recomendações acima feitos.

 

PARA CONHECER OS COSTUMES, TRADICÕES E CURIOSIDADES SOBRE AS BELAS MULHERES RUSSAS, CLIQUE AQUI

 

Mas há uma outra variável. O sujeito se apaixona e enfia na cabeça que tem que ir para uma vila pequenina, uma cidade perdida no meio do nada, encontrar a tal pessoa. Aí o pobre reúne dinheiro Deus sabe como e parte. Chegando lá, pode até ser que sua amada exista, mas as coisas realmente não vão sair como o planejado. As variações são extorsão, cárcere, exploração e por aí vai.

A outra modalidade é o golpe do passaporte. A pessoa amada é um doce até que você casa e garante a ela um documento brasileiro (ou europeu). Aí, a carruagem vira abóbora e você é chutado. No caso, você até tem algum romance, mas com prazo de validade e é sempre pressionado para agilizar a cidadania.

Publicado por Rodrih às 14:08 | Link do post
Estado de Espírito:

Post de 15/07/2009 (07:31':47") - revisado e reeditado.


 

 

 

 

Ser fútil é colocar tudo o que é material em primeiro lugar

...acima das pessoas, dos sentimentos
...da vida em si. Ser fútil é ser feio
...por dentro
...mesmo que sejamos lindos
por fora...

 

É não saber olhar além do que nos aparece à frente dos olhos.

É não saber alargar os horizontes além do que está à mão.

É não saber lutar pelas coisas e esperar que elas aconteçam, simplesmente.

 

É olhar para a imagem reflectida no espelho e ver apenas isso.
Não nascemos fúteis.

A futilidade aprende-se.

Não é inata, mas sim, socialmente apreendida.

 

spalha Brasas



Para mim ser fútil...é julgar as pessoas pela roupa, beleza fisica ou conta bancária e não olhar para o interior delas. Estar sempre a espera que os outros trabalhem e depois é só assinar embaixo, não ter personalidade, não saber impor-se, não ter opinião

...ser fútil é tudo isto e muito mais.

 

homemQama


 

Ser fútil é encantar-se mais com a roupa do que com o interior!...
É adorar a joía e esquecer o beijo...
Ser fútil é não se encantar com as pequenas coisas do dia a dia, o sorriso, o abraço, o beijo, a palavra amiga, a flor roubada no jardim...
ser fútil é estar Linda, mas esquecer a Felicidade!...
jamais alguém vai estar linda se o sorriso não for bonito!

 

Elsa


 

Ser fútil... é olhar para ti.
Alguém sem alma, sem carácter, com milhares de vaidades dentro de si, fazendo de ti uma coisa vazia...

 

Marlene


 
Estamos cercados de coisas fúteis, pessoas e momentos também. A futilidade é uma necessidade, um processo no meio do caminho em que todos nós passamos e com ele aprendemos. Aos que sobrevivem a isso se tornam pessoas melhores, mais nobres e observadoras. Há quem passe por isso e se torne pessoa silenciosa, fechada e anti-social. A futilidade serve para separar bem as coisas, mas não é de todo ruim. Mais fútil do que o smart-phone ou mesmo o facebook, tão mais fúteis são os programas de televisão ou os sites sociais, de relacionamento. O que, aliás, os sites de encontros sexuais são menos fúteis do que os demais, porque, pelo menos estes vão direto ao ponto, objetivos e escancarados, não pegando ninguém de surpresa, não se fazendo de santos. Os sites de encontros, paqueras, namoros e até os de fé todos eles escondem uma grande parte de desejos coibídos, disfarçados, maquiados. Todos querem alguma coisa de todos os demais, quer seja sua admiração, pajelância, dependência psicológica, aprovação e tesão, mas ninguém assume a cara por trás da máscara. Fútil é o carro caro com itens e acessórios mais fúteis ainda, que estão ali para encarecer o produto e dar a sensação de conforto. Mas quem é que vai usar tantos mimos durante uma volta pra casa vindo do trabalho? Talvez nas viagens. E quem é que fica viajando tanto assim de carro, tendo tantos acidentes nas estradas assim? Carro é um item fútil, como o celular, que deveria ter a função de funcionar e servir o usuário, mas vem com muitos apetrechos, que o tornam um produto inútil de tão fútil que é. Todos os que responderam acima têm um quê de futilidade, estão falando o que refletem seus corações combaídos e hipócritas, não resistem às futilidades da vida e falam o que pensam como profetas que pregam a Palavra de Deus às pessoas, mas entre si têm seus questionamentos, suas dúvidas e suas futilidades. Tanto quem se diz pastor protestante, como quem se diz padre, ou ministro de alguma fé. Somos todos iguais, mas com representatividade diferente. Já reparou quanta coisa fútil você tem só no seu quarto? Imagina na sua vida! Ou mesmo na sua mente? Não dá para ser feliz sem ser pelo menos um pouco fútil. Até aquelas pessoas que malham na academia, dia e noite, ou todos os dias, malham para sustentar um conceito fútil, que é o de parecer mais bonito para alguém ou seu meio social, ser aceito ou melhor recepcionado, dar impressão de saúde e mente jovial. Einstein não ia à academia, Amstrong não fazia musculação, Carlos Drummond de Andrade também não, Mandela, Linconl, João Paulo II, nenhum deles. Steve Jobs nem Salvador Dali não se preocuparam com isso e mesmo assim foram pessoas interessantes que deixaram seu legado no mundo. Por que nós não tentamos seguir um caminho próprio, por que precisamos estar imitando as manias e as piadas dos outros, deformando nossos físicos, envenenando nosso organismo para mantermos em forma. Em forma? Em forma de que tipo de referência? Oras, da referência fútil que todos nós adoramos ver, apalpar, consumir... não sejamos hipócritas. Quando se assume sua futilidade você evita gastar energia com desperdício. Sim, eu posso gostar de mulher magra, ou gostar de comer hambúrguer no Mc Donald, gostar de ver novela ou gostar de fofocar, e daí? São futilidades pessoais e que fazem parte do crescimento de cada um, isto é, cedo ou tarde vamos parar de dar tanto valor a isso ou aquilo, mas em tal momento da vida são futilidades necessárias para cada um. O que uma mulher fofinha não pode fazer melhor que uma magrinha? O que um sanduíche natural não pode ser mais saboroso que um do Mc Donald? O que um documentário não pode ser mais interessante do que uma novela? Ou o que eu ganho se não falar mal de alguém com alguém que gosta de ouvir as maldades de outrem? Tem coisa mais fútil do que fumar ou beber, ou os dois? São futilidades necessárias naquele momento na vida daquela pessoa. Pessoas de idade que se assustam ao ver um negrinho vindo pela mesma calçada. Se assustariam se vissem um loirinho no lugar daquele? Claro que não, porque a futilidade está em seus pensamentos, no coração. Moças que querem porque querem se casar na igreja, porque sentem necessidade de serem melhor vistas ou referidas em seu grupo social são fúteis também. Gastos caros com um vestido de um dia, mobiliza um monte de gente só, apenas para ela passar como princesa dos contos de fadas de Walt Disney. Futilidade sim, porque mais vale o cenário montado e mostrado do que o valor e o objetivo da atitude de viver com alguém. Os compromissos não importam senão para constar no vídeo e tornar o espetáculo mais emocionante, mas nenhuma das partes está lá para fazer juramento, mera formalidade. Poderia ser: "Eu, fútil que sou, que gastei R$ 1.200,00 nesse vestido de noiva simbolizando uma moça virgem e pura, apesar que já transamos desde que começamos a namorar, aceito diante  desse monte de gente fútil que está aqui para fazer média e comer de graça o banquete que eu e meus pais iremos pagar". A futilidade está nas maquiagens, porque todos os dias se põe, se tira, põe, tira, põe e tira, sempre escondendo quem se é para mostrar o que gostaria que fosse. Por isso homens necessitam suar dobrado para - fúteis que são, somos - precisam ter patrimônio, bens e condinções financeiras para atrair também, a maquiagem nesse caso está na conta bancária. Conheço amigos, fúteis que são, que estão fodidos na vida, pagando caro para manter namoradinhas parasitas, que por terem dado seus lindos corpinhos mantêm um arsenal de vaidades como celulares, roupas, maquiagens e até carro a apartamento alugado. O fútil mantendo a fútil, mas que se forem perguntados o que é ser fútil vão responder lindamente como todos nós responderíamos. A realidade é cruel e quem não dança conforme a música toca se exclui e se isola. Até eu sou fútil por estar refletindo sobre a futilidade do mundo, já que faço parte desse mundo. O que conforta é que do fútil se torna útil, e com o tempo, pouco a pouco o comportamento amadurece, frescuras são substituídas por aceitações, pré-conceitos por conceitos mais originais e menos hipócritas, e corações mais amorosos pulsando dentro do peito. E não no meio das pernas. Fato.

 

Publicado por Rodrih às 12:46 | Link do post
Estado de Espírito:

 

 

 

Este post é um e-mail de resposta para uma amiga blogueira, sobre o fato dela ter parado de continuar com seu projeto de refletir sobre um tema muito interessante e que atinge a maioria das mulheres apaixonadas ou, no mínimo, que desejam arduamente se apaixonar, viver a satisfação de ter alguém consigo, como companheiro e boa companhia. Em resposta, que a princípio seria enviada por e-mail, mas como o tema é muito importante e pode vir a ser útil para outras pessoas (é assim que funciona a mente de um blogueiro, expansiva e escalonável, altruísta), então trouxe para cá a minha resposta, tomando a precaução de não fazer exposições descomedidas. Então respondi: "Eu li o seu email e de pronto não quis responder. Fiquei pensando sobre a responsabilidade que assumimos como blogueiros, formadores de opiniões, ajudadores das causas excluídas para pessoas excluídas e entendi que nem sempre se vai com perseverança nas coisas que acreditamos serem atos do bem. Talvez seu blog tenha um conteúdo importante para aquelas mulheres que precisaram/precisam dele para se sentirem mais incluídas, encorajadas e menos frustradas, porque o conteúdo tirava das mãos dos homens (os machos alfa) o poder de decisão da escolha, e trazia de volta para as mãos femininas esse direito de escolha.Talvez você seguiu uma só linha de raciocínio nos seus posts e se cansou disso, tornando o seu blog um diário pessoal, quando na verdade, uma vez lançado na internet deixou de ser seu e passou a ser de todas as excluídas, desiludidas, frustradas, apaixonadas, sonhadoras, decididas, irritadas, resolvidas, determinadas, mal-resolvidas etc., enfim, das mulheres que buscam alento nas experiências de pessoas formadoras de opiniões. E o seu blog não era só um diário pessoal, mas um espaço de formação de opinião. Meu blog já o abandonei algumas vezes, no entanto voltei porque vi que estava fazendo bem às pessoas que nele encontravam refúgio, paz de espírito, ou mesmo incentivo para dar um fôda-se pra muitas coisas. Estou sempre relendo meus posts, refazendo-os, atualizando os textos, refletindo sobre as reflexões que tive e amadurecendo-as, corrigindo erros de português, esclarecendo opiniões que muitas vezes nem eu mesmo consigo decifrar o que foi que eu estava pensando. Às vezes penso que eu estava chapado ou emaconhado quando digitei o post, de tão confuso que era para entender, então eu releio, tento relembrar o sentimento daquele momento e redigito de maneira menos emaconhada. Como não tenho vícios de qualquer natureza química (tóxico, álcool nem entorpecentes), deduzo que a insistência de digitar uma reflexão na madrugada é o que me faz parecer ser maluco ou drogado; mas a causa sempre é o sono. Meu blog está recheado de minhas tristezas, geralmente amorosas, frustrações que partiram meu coração, e tenho vomitado minha raiva nas amadas que amei e por quem fui traído, por quem errei no erro de cada uma delas, e a mágoa só tem feito mal a mim, como se eu fosse uma serpente que picasse a mim mesmo e sofresse com meu próprio veneno por não ter coragem de procurar a cada uma delas e externar minha ira. Talvez um amor ainda preservado restante dentro do meu coração. Então eu tenho deletado as partes vomitadas e referidas às amadas - que por mais ódio que eu destile sobre elas, ainda as amo de alguma forma, porque elas foram responsáveis por construir valores e destruir paradigmas velhos. Ter um blog é ser conscientemente insano, porque é um fardo, pedras para carregar nos ombros cansados e doídos, que já aguentam outros fardos que a vida nos impõe para suportar, mas se sentimos necessidades de montar um blog foi porque ouvimos o chamado para ajudar na aquarela da formação de opiniões. E tem muitas pessoas que precisam de nosso altruísmo, de nosso ponto de vista, elas agradecem (mesmo sem agradecer de fato). Blogs como o meu, e o seu requerem que amadureçam junto com nossa maturidade, que sejam remodelados como a vida nos remodela e reinventados a todo instante. Não são só ideias ao vento, nem papéis de rabiscos, são espaços em que seguimos com nossa maneira de enxergar o mundo e servimos de setas que apontam para um caminho, às vezes até erramos nas palavras, mas dificilmente nos equivocamos na intenção do projeto, que com outra relida podemos consertar e tornar o resultado mais bonito, mais interessante e com melhor discernimento. É por isso que poucos criam blogs e milhares os frequentam, porque há uma necessidade na busca da opinião daquele que se doa em fazê-la. Talvez seja um momento de deixar o blog parado, mas ele não fica parado, porque pessoas vão encontrá-lo, irão lê-lo, refletir suas reflexões, e podem até pôr em prática na vida delas, e o pior de tudo é que pode também e até dar certo o que você sugeriu e talvez não tenha dado certo pra você. É assim que funciona o poder da informação e da opinião valoral, e se um dia você sentir vontade de voltar ao seu blog para continuar seu trabalho, que diga-se de passagem não é fácil, então você entenderá o quanto você fez falta durante o tempo que esteve ausente." Beijos, Rodrigo Caldeira.

Publicado por Rodrih às 10:42 | Link do post
Estado de Espírito:

Hoje eu acordei cedo demais, apesar de ter dormido tarde demais também, então, com isso eu dormi pouco demais. Um axioma, "pouco demais", mas é para ser assim mesmo. Acordei e não me mexi, fiquei pensando, olhando para uma costura com linha solta de um dos travesseiros que me fazem companhia durante a noite, aliás, todas as noites. Não consigo dormir sem ver o volume dos dois travesseiros que coloco sempre ao meu lado da cama, como se eu sentisse confortável de saber que não estou tão sozinho. E fiquei pensando sobre a vida. Sim, a vida. A vida?! Como assim? A vida no que ela representa, sua magnitude, seu poder sobre a existência, sua força infinita de ser. A vida é a maior maravilha da existência do universo, nada em lugar algum tem mais força do que a própria vida, nem o sol, nem todo o universo, nada existe para ser maior e mais poderoso do que a vida. As bactérias buscam a vida para existir, os insetos, os crustáceos, os moluscos, os peixes, os mamíferos, os répteis, as aves, as plantas, os fungos, o mofo, o lodo, as cores, tudo busca na vida o sentido para existir e o único ser que tem consciência disso tudo tem a ousadia de tirar de si a própria vida ou tirar a vida dos outros, que somos nós, humanos. A vida é única e não tem volta, e por mais que alguns digam que tem volta sim, eu afirmo que não tem volta não. Por mais que se diga que tem sim, eu digo que pode até ter, mas não ESTA vida que você vive hoje, que eu vivo agora, neste corpo, nesta experiência ímpar. E como eu não sei se já vivi outrora e tampouco sei se realmente viverei noutra circunstância, sinceramente não quero arriscar o palpite e deixar de sentir a vida correndo por dentro de minha existência. Eu vejo a vida se manifestando nos meus pensamentos, nos meus sonhos, o movimento de minhas mãos, meus dedos se articulam de forma tão sincronizada, e com eles consigo pegar todo tipo de objeto. Olho para os dedos dos pés, caramba, como são estranhos e ficam bonitos com uma meia, mas a perfeição não está nisso, mas na forma como os dedos são distribuídos e percebo que o dedo mindinho tem uma função importante, que é de dar equilíbrio à uma fração pequena do meu corpo inteiro, quando estou de pé ou caminhando. Na vida que nós vivemos podemos fazer TUDO o que imaginarmos e queremos fazer, e não digo que podemos ter tudo, até porque TER não é melhor do que PODER, porque para ter você precisa poder primeiro, mas para poder você só precisa querer. E o ter é limitado, é material, já o poder é ilimitado, é maior e vai mais longe. Eu, com meus pensamentos e minha imaginação eu POSSO ir aonde eu bem entender, posso ser rei, posso ser escravo, posso sentir sensações ainda que eu não tenha nada nas minhas mãos, posso sonhar e posso voltar à minha realidade. Posso beijar Marlyn Monroe, posso ir na lua e fincar a bandeira do Brasil ao lado da bandeira dos Estados Unidos. Eu posso! É por isso que a leitura tem tanto poder, porque é através do que lemos que PODEMOS qualquer coisa, não há limites para isso. O ônus para TER é pesado e chega a ser fútil perto das dádivas do que eu POSSO. Para eu ter uma Ferrari terei que suar meus mais ínfimos nervos para levantar um milhão de dinheiro, mas depois que estou com a Ferrari nas minhas mãos vou sentir que tanto sacrifício me levou à uma frustrante situação: "Tá, e daí? Estou com a Ferrari e agora? O que isso me faz bem?". Terei a Ferrari e toda vez que eu precisar sentir que eu a tenho terei que andar nela. Tá, e daí? As pessoas só poderão saber que eu tenho uma Ferrari se elas me verem andando nela ou se me verem entrando nela num estacionamento. Cada pessoa que me ver dentro da Ferrari será um olhar tão caro que terei pago, que não terá compensado tanto sacrifício. Se por um milhão de dinheiro eu tiver a admiração (ou a inveja) de quinhentas pessoas, terei pago dois mil dinheiros por cada olhar dessas pessoas, porque quinhentas pessoas vezes dois mil dinheiros dá um milhão de dinheiro. Serão olhares caros demais, não compensa tanto suor saído de mim. Tive essa sensação quando era dono de um Chevrolet Bel-Air 1954, um belíssimo carro antigomodelo, um clássico americano que me fazia ser parado até por policiais rodoviários, apenas para eles apreciarem o carro, tirar fotos com seus celulares. E nas exposições eu ficava pensando o quanto era fútil aquilo tudo. Eu lá parado, alguns amigos afins, um belíssimo carro clássico todo original e em perfeito estado ali, parado, inútil. Quem gostava de carros chegava e dispensava toda aquela beleza de uma lataria exuberante, e pedia para ver o motor. Ver o motor?! Sim, o motor. Um monte de peças pretas, parafusos pretos, mangueiras pretas, óleo em algumas partes, mas toda a beleza do veículo se destacava naquilo, no motor. E eu? E o que eu tinha feito para conseguir comprar um carro desses? E a beleza da vida neste carro? Não tinha valor. O carro e eu só aparecíamos quando estávamos juntos e zanzando por aí. Ninguém falava do carro se ele estivesse guardado, nem falava de mim com o carro. Então larguei o clássico impecável debaixo de um abacateiro e lá o deixei apodrecer, até abacate começou a nascer debaixo do carro. Fungos, bactérias, insetos, tudo foi cobrindo o carro. Era a vida sendo buscada n'algo que estava abandonado. E quando eu fui tirar o carro daquele lugar, depois de meses que ele estava ao relento, esquecido e largado deparei com uma rápida sensação de que ali ele estava sendo mais útil do que desfilando por aí. Ali a vida estava acontecendo em volta e em torno dele. A vida estava nele nos fungos, no musgo, nos insetos e até no abacate que estava nascendo entre o vão do parachoque. Então deixei-o onde estava, vindo a retira-lo dali quase um ano depois, e o pé de abatace só não cresceu entre o parachoque porque eu o havia desviado e já estava com mais de três metros de altura. A vida continuou, só o carro que se mantinha como sempre foi. Assim é com a gente, não há nada que possamos fazer para parar a vida, ela sempre irá continuar. A vida é de tamanho poder que nela temos tudo para nossa manutenção. Água, ar, alimento. Tudo para continuar nela e com ela na gente. Até as bactérias buscam se manter para sentir a vida pulsar nelas. Os insetos. A vida de um inseto é tão breve e eles vivem como podem, a luta para sobreviver é imensa e tudo simplesmente para nada mais do que se manter com vida. Na vida temos tempo para aprender a sermos bons, sermos maus, sermos imaturos, sermos maduros. A vida nos permite observar a vida de outras vidas, tanto nas plantas como nos animais. A vida acontece o tempo todo à nossa volta e dentro da gente. A mulher que engravida, caramba, é a vida gerando vida! Como pode isso!? A multiplicação da vida! A busca pela vida é tão intensa que faz com que um corpo gere outro corpo para continuar vivendo, tal qual as plantas fazem, até as bactérias quando se multiplicam. O objetivo é manter o dna vivo! E mesmo que não se tenha filhos, mesmo que não se multiplique, nosso dna é assimilado por outras pessoas com nosso sangue, nossa saliva, nosso contato. Senão dna orgânico, quiçá dna intelectual, sim, por que não? Estamos sempre auxiliando na formação de pensamentos de outras pessoas, mudando sua maneira de agir e com isso causando mutação em sua maneira de viver, e alguma coisa isso muda no seu dna orgânico. A vida nos deixa sentir o dia, nos dá descanso à noite, nos dá fome para saborearmos os alimentos, nos dá sede para nos embriagarmos com os líquidos, principalmente com a água, que vem de nenhum lugar específico, mas vem para nos abater a sede e o cansaço, vem para nos limpar e nos divertir. E como tudo que pode nos trazer a vida, a água também pode nos tirá-la. Tudo dependerá de como queremos viver, isto é, sob riscos de perder a vida, ou não. Com a vida podemos ouvir ruídos, palavras e a música. O que é a música senão ruídos também? A música são ruídos organizados que dão vida às nossas inspirações. Como diz Zé Ramalho, "ninguém quer a morte, só saúde e sorte!", e é verdade. Saúde e sorte para continuar sentindo a vida pulsar na gente. E quando chegarmos ao fim dessa viagem chamada Vida só levamos o sentimento de que vivemos os momentos, sentimos todos os sentimentos e vencemos as dores e os lamentos. Enfim, vivemos!

 

Publicado por Rodrih às 10:28 | Link do post
Estado de Espírito:

Eu encontrei esse site quando procurava informações sobre que tipo de bicicleta serviria para os meus 1,95m de altura. Quase ninguém sabe, mas há um tipo de bike para cada altura de pessoa, e isso se reflete nas articulações como joelhos, tornozelos e também na coluna. Veja essa dica da "Escola de Bicicleta", e se precisar de saber mais é só acessar o site deles!

 

Fonte: http://www.escoladebicicleta.com.br/bicicleta.html

 


altura média do ciclista 
metros 
 
1,50 - 1,60
1,60 - 1,70
1,70 - 1,80
1,80 - 1,90
1,90 -
  
tamanho do quadro 
Mountain Bike 
em polegadas
15
16 ou 17
18 - 20
21 - 22
22 -
  
tamanho do quadro 
Bicicleta de Estrada 
em centímetros
48
50, 52, 54
54, 55, 56
57, 58
60, 62

 

 

Há algumas variações na forma utilizada pelos fabricantes para medir suas bicicletas (Mountain Bike). Portanto, é possível encontrar bicicletas de idênticas medidas, mas que por suas aparências, dão a idéia de tamanhos diferentes.

O tamanho correto de uma bicicleta de estrada ou profissional, bem como seu ajuste ao ciclista, deve ser estabelecida por um profissional especializado.

 

Abaixo ilustramos duas sugestões para o ajuste de sua bicicleta:

 

1) Sugestão para bicicletas sem amortecedor

Ajuste de selim:

 

Três dedos abaixo, partindo da parte mais alta do osso da bacia, na lateral do corpo.

 

Distância entre a ponta do selim e a caixa de direção da bicicleta é igual a distância do cotovelo às pontas dos dedos indicador e anular do ciclista.

 

2) Sugestão para bicicletas em geral

A altura do cavalo x 0,88 é igual à medida do selim até o centro do eixo do movimento central da bicicleta, conforme o desenho. Os pés devem estar descalços e o ciclista deve estar vestido com a roupa que habitualmente utiliza para pedalar.

 

Na prática quando sair para pedalar mais relaxadamente, em um percurso urbano, o uso do selim mais baixo é mais confortável. Numa saída mais longa ou num treino em asfalto ou terra, o uso do selim mais alto solicita mais o corpo como um todo, segundo alguns estudiosos. Ainda assim, pode ser previdente sair com calma e selim mais baixo e só aumentar a altura do selim depois que o corpo estiver aquecido. Essa mudança de altura do selim pode variar até 6 centímetros. 

Publicado por Rodrih às 21:15 | Link do post
Estado de Espírito:

 

 

 

 

Obs.: Agora tive essa ideia. Vou deixar o enunciado postado para que eu lembre de refletir sobre o assunto inspirado. Se eu fizesse isso desde sempre teria, no mínimo, cerca de trinta posts montados e apresentados neste blog, mas eu até anoto isso em algum lugar... e estou procurando até hoje essas anotações que tenho feito - umas já irão fazer aniversário... pois'é, paciência. Agora eu não esqueço mais (e nem perco).

Publicado por Rodrih às 23:09 | Link do post
Estado de Espírito:

"Eu quis o perigo e até sangrei sozinho. Entenda. Assim pude trazer você de volta pra mim..." 

Teria alguma coisa a ver com Cristo, que, sendo crucificado, salvou a humanidade de seus pecados e trouxe os homens para perto de Deus, afastando Sua ira para sempre? 

Se não, como interpretar essa estrofe, já que a canção inteira ele faz menção a Deus: 

"Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três."
(Pai, Filho e Espírito Santo) 
"E esse mesmo Deus foi morto por vocês."
(Cristo morreu crucificado para a salvação dos homens) 
"Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste."
(Na véspera da Páscoa os judeus caçaram, acusaram e condenaram Jesus à morte, e Deus partiu o Templo ao meio)
"Fazer com que o mundo saiba que seu nome está em tudo e mesmo assim ninguém lhe diz ao menos obrigado."
(Deus criou tudo, todas as criaturas, toda a matéria, o sol para o dia, as estrelas para a noite e ninguém agradece tanta beleza)
Publicado por Rodrih às 04:10 | Link do post
Estado de Espírito:
Pontos vermelhos = acessos no mundo!
VISTO POR
fast stats
Get Voip Service
Comentários
Oi Bruno, eaê brow, situação complicada essa hein....
Dúvida muito pertinente :)
Eai irmão,Acontece comigo em meu trabalho, tenho n...
Vivo o mesmo que você.. 14 anos! Desejo que ele mo...
No final, eu também não entendi o que você quis di...
No final embaralhou tudo, ficou tonto.
Priscilla Vicente, obrigado por compartilhar sua f...
Rodrigo vivi 10 anos de tortura com um misógino,ma...
Obrigado por comentar e interagir! É mágico quando...
Muita coisa faz sentido né, muita coisa não perceb...
O-bri-ga-do por comentar e fico feliz por ter gost...
Obrigado gatinha pelo comentário, por ler constant...
Caro Fulanão, obrigado por ler e apreciar o post s...
Olá Anônimo, boa noite, obrigado por comentar, mas...
Ops, dedo nervoso clicou em aprovar e pluft, foi-s...
Ligação foi interrompida por outra que pessoalment...
Texto muito interessante, e acredito que muitas co...
obrigado pelas dicas, vou começar agora em 2017 eu...
Rodrigo, precisei comentar aqui pra agradecer pelo...
Pois eu desejo a você, Rodrigo das Águas mais limp...
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar
 
Mensagens
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
SAPO Blogs