Imagem relacionada
Por e-mail em 20/07/2017 - Excluindo todas as referências do remetente, a pedidos.

Boa noite Rodrigo
 
Primeiro gostaria que soubesse o quanto me identifico com seu blog, às vezes penso que está falando de mim ou pelo menos falando comigo. Sou cientista educacional e psicóloga, atendo pela linha comportamental, mas não estou livre de sofrer as intempéries da vida. Peço a delicadeza de não divulgar meu nome e nem o mail que estou enviando. Sinto que posso confiar em você mesmo sem conhecê-lo pessoalmente, mas pela maneira como trata as pessoas aqui percebo que você é extremamente confiável. Espero não me decepcionar com minha expectativa sobre esse Rodrigo Caldeira blogueiro e orientador de muitas pessoas, especialmente das mulheres (sorte nossa rs). Tenho 29 anos, sou uma mulher bonita, atraente, bem relacionada, envolvente e dona de um corpo perfeito. Não tenho filhos e agora nem noivo eu tenho mais. Sempre quis me casar desde os 20 anos, mas todos os homens que me relacionei (e não foram muitos) só queriam sexo, e desfilar comigo para todos os lugares. Mas não sei o que acontece que não me levam a sério. Como já disse, sou cientista na área da educação, também psicóloga e uso meu conhecimento para minha vida, sou extremamente independente e não gosto de pedir para que arrumem as coisas pra mim. Isso já oferece vantagens para o homem. Não sou ciumenta como essas que matam e morrem pelo companheiro. Sei que tenho o gênio forte, mas isso não deve ser problema porque tem mulheres muito mais bravas por aí, só que elas conseguem se relacionar e são correspondidas. Então o que estou fazendo de errado?
 
Olá XXXXXXXX
 
Obrigado pelo e-mail que enviou, pela confiança depositada, por ter se exposto com segurança e pelo texto digitado corretamente (rsrs), pudera, cientista educacional, o que não esperar de você na escrita né?! hehe.. Sim, XXXX, você pontuou coisas que todo homem adoraria tê-la, mas fez o fechamento de tal maneira, que só seu cachorro de estimação conseguiria se manter por perto onde você estivesse. O fato de ser muito bonita e ter um corpo perfeito ajuda imensamente muito, pois os homens são extremamente visuais, por mais que os que dizem que não são sequer olhem para uma bela mulher passando de biquine à sua frente. Todo ser humano social, isto é, vivente de uma comunidade, uma sociedade, gosta do que é bonito e perfeito, ou quase isso, vê-se que compram carros bonitos, roupas, decorações, maquiagem etc. Entretanto, o que você faz com seu comportamento é que a deixa feia, isto é, difícil de ser aceita. Quando você se torna muito independente, você está sendo arrogante, ou seja, a - rogar, em que "a" significa "não" e "rogar" significa "pedir". Os homens, aqueles que realmente gostam de mulher e da mulher, não costumam se adequar com mulheres arrogantes, em que eles se sintam inúteis, e até incapazes de fazer algo por você. Homens precisam se sentir úteis, necessários, interessantes e reconhecidos. Se você conseguir alcançar a lâmpada para trocar, ponha na cabeça que o homem que está sentado no sofá da sala é o único neste planeta que conseguiria trocar a tal lâmpada, então acenda umas velas e quando ele perguntar diga que não sabe o que aconteceu, de repente a lâmpada não acendeu mais. Ele se sentirá necessário para descobrir o que aconteceu com a lâmpada e isso o faz resgatar seu instinto primitivo de proteção e conforto de seu ambiente de convívio. Daí que ele testará e dirá que foi só a lâmpada que queimou. Ele até dará uma risada, mas é um riso heróico, pois verá as velas acesas e tal, e certamente cairá bem um reconhecimento por sua bravura, sua inteligência e capacidade. É óbvio que você já sabia que era lâmpada queimada e já estava quase desconectando a queimada e substituindo por uma outra nova. Mas lembrou-se de se fazer de donzela do alto da torre do castelo do rei, então desceu da escada, guardou-a, escondeu a lâmpada nova e acendeu as velas, continuando a fazer o que estava fazendo, até que o chamou para perguntar se vai querer ovos de codorna cozidos, só para que ele visse o lugar escuro e cheio de velas acesas. Pronto, você o fez entender que sua presença é importante na sua vida e, como um Tarzan, ele ficará atento em dar-lhe suporte sempre que precisar. Isso melhorará sua autoestima, sua virilidade e seu senso de responsabilidade. Experimente rogar mais e veja o que acontece. Sobre o gênio forte, experimente deixar seu gênio do lado de fora da academia, quando você for malhar, tudo isso vai ajudar no seu relacionamento. Depois de alguns meses volte aqui para nos contar se eu sou uma besta ou se minha orientação realmente te ajudou, tudo bem?! Boa sorte e mude seus conceitos, não vai acreditar no quanto a vida se torna melhor! 
Cordialmente, Rodrigo Caldeira
Publicado por Rodrih às 17:23 | Link do post

Resultado de imagem para casal briga

Observo muito as pessoas e absorvo as coisas que elas dizem. Mas não costumo digerir de imediato, talvez seja aí uma coisa que me deixa um pouco aquém, quando se tem que trabalhar em equipe. A praticidade não é o meu forte no relacionamento com alguém, porque fico mais focado em outros assuntos como segurança, proteção, bem estar, e o depois. Há pessoas que fazem o que tiver que fazer, sem pensar muito nas consequências. Então isso tem me deixado desconfortável diante algumas situações. Vi muito disso acontecer com garotas, mulheres que eu conheci na internet, elas sempre estão longe, muito embora sejam as mais bonitas, mais legais e mais verdadeiras na relação, sempre estão longe. E muitas diziam: "Vem me ver", como se eu estivesse do outro lado da rua ou na quadra ali perto, mas, no entanto sempre estime a milhares de quilômetros de distância, e parece que isso não era um problema para elas. No entanto, na minha mente, por mais tesão e paixão que possa existir, já se projetava em três pensamentos ao mesmo tempo, como os custos para ir de carro, de avião e de ônibus numa opção muito remota. Calculava também as taxas dos pedágios, das passagens e alimentação. Tudo para chegar perto de uma pessoa que sequer se dava ao esforço de pensar em minha condição física e financeira para alcançá-la. E esse tipo de pessoa não é do tipo que se possa contar muito, porque é uma característica acomodada, pedinte. Esse pensamento faz com que muitas coisas não se concluam na vida de um casal, justamente porque essa parte da relação é aquela que cedo ou tarde confronta, impõe (opiniões, regras, conceitos). Curiosamente, estive em duas situações parecidas, em que duas amigas diziam que seus companheiros falaram situações vividas na rua ou no trabalho, em que elas escutaram e depois começaram a corrigir num enfrentamento os caras. Ora, a lei da natureza é clara quando diz que os opostos não se atraem. Você não vê um boi se relacionando com uma égua. Nem um pato com uma galinha. Tampouco vê um pombo viver de amores com um falcão. Opostos não se atraem. Quem disse isso estava tentando defender um ponto de vista para conquistar alguém inalcançável para si, porém com grande imaturidade para acreditar nessa conversa da carochinha. A menos que uma das partes aceite ser a que será a pessoa companheira. E isso significa o que exatamente? Ora, significa que não deverá confrontar, se tornar oponente, ter enfrentamentos com a parte com quem se escolheu se relacionar. É insano pensar que o fato de ter alguém com você lhe dá a permissão de dar sua opinião, de modo que deprecie ou desmereça a opinião do outro. Quando a outra parte inicia um diálogo falando sobre um ocorrido, uma experiência externa; é óbvio que está buscando na sua parte-metade um apoio auditivo, uma troca de ideias sensata, não imperativa, e nem um enfrentamento. Numa situação uma amiga me disse que seu namorido (mistura de namorado, pois não vive com ela/ com marido, pois mesmo não vivendo com ela age como se fosse um marido, isto é, conserta as coisas em sua casa, resolve problemas com ou sem ela, até faz benfeitorias para a mãe da moça) chegou a casa falando de seu aborrecimento da passeata gay, em que achava um absurdo um bando de viado ficar afrescalhando no meio da rua, bloqueando o trânsito, ficando de firulas, bando de baitola de mente desocupada. Ela, por sua vez, tomou as dores dos gays e começou a falar um repertório de defesas sobre direitos humanos, exclusão social, machismo, homofobia, perseguição, e para piorar o que já estava ruim disse que estava decepcionada com ele. Puts... Olhei pra ela e perguntei em que planeta ela estaria vivendo. E comecei a explicá-la da insanidade que ela estava cometendo ao levantar a bandeira da defensora dos fracos e oprimidos. Primeiro porque ninguém pediu a ajuda dela, segundo porque ninguém sabe se ela existe, terceiro dentre outras enumerações, ela não tem que ter um enfrentamento logo com quem troca desejos e constrói projetos de vida. Uma grande burrice bater de frente logo com quem se deita de frente. Quando se escolhe alguém para viver, quer seja para namorar, casar ou ficar de rolo eterno tem que ter em mente que aquela pessoa preenche seu vazio de certa maneira, e confrontar é pedir para ficar só. Então ela defendeu-se dizendo que tem amigos gays e não suporta quando fala deles. Respondi que neste caso e ao que tudo indica, esses caras da passeata não eram os amigos dela. Então ela resmungou que gostava dos gays. Eu disse para que ela fosse honesta com o namorido e encerrasse a relação, e fosse namorar e viver com um gay, já que seu encantamento pelos homossexuais era maior do que a vida a dois com o namorado, quase marido. Ela disse que não fazia sentido, que ela não seria gay e não ia dar certo ver o cara dando para outro cara. E foi aí que eu disse para que ela, finalmente, parasse com essa hipocrisia de defender os gays e passasse a ouvir o namorado falar, pois as relações funcionam assim, a menos que o namorado a procurasse para se aconselhar sobre a ideia de buzinar e xingar os manifestantes de viado, baitola etc. Não, ele disse outra coisa, uma irritação de trânsito, uma chateação enquanto passava pelo local, devidamente compartilhado com ela, que do nada voltou com quatro pedras nas mãos. Ela me questionou que deverá ficar calada, sem opinar em nada. Respondi que jamais, mas que soubesse fazer isso sem ofender, diminuir o namorado. Sempre empoderem-se casais! São coisas que eu digo aos casais, desde há pouco tempo, quando tenho a oportunidade de convencê-los de que a relação poderá dar certo, desde que as partes saibam ser a parte necessária e bem-quista. Não há relação que dure quando você chega em casa e dá de frente com uma pessoa sindicalista, defensora de desconhecidos, apenas pelo prazer de fincar suas opiniões e sobressair com seus conceitos anteconceitos da relação. Ouvir, ponderar, sugerir e acima de tudo, abstrair são ingredientes de uma relação agradável e parceira. Fica a dica.

Publicado por Rodrih às 17:03 | Link do post
Pontos vermelhos = acessos no mundo!
VISTO POR
fast stats
Get Voip Service
Comentários
EU ERA UM IDIOTA UTILEU ACHAVA Q TAVA LUTANDO CONT...
Estou assustada como não conhecemos a pessoa com q...
Oi Flaviana, obrigado por comentar e trazer uma ex...
ola rodrigo, me chamo Flaviana. li o seu blog e go...
obrigado por emanar energia suficiente para minha ...
Oi gente! Obrigada pelas dicas. Eu não penso em vo...
Drika, Drika, que situação! Estou conversando com ...
Rodrigo, voltei. Aqui é a Drika, aquela que bagunç...
Sim! Vida nova numa nova vida! Mas sem se autossab...
ERA O QUE EU PRECISAVA. ALGUMAS COISAS JÁ ESTAVA C...
Rodrigo Caldeira obrigada pelo texto incrível e es...
Vanessa Xavier, eu quem agradeço seu carinhoso com...
"Divindade, limpe em mim as memórias que estão cau...
Gostei cara! tirou a ideia de budismo . tencnca é ...
Oi Eliana, sou muito grato por tê-la no blog e pri...
Natanaela, obrigado por compartilhar aqui sua expe...
Prezado Rodrigo,Que texto maravilhoso e esplanador...
Oi bom dia. Me chamo Natanaela, sou brasileira, te...
rachei de rir....to com 43 anos e concordo com o t...
Esse texto expressou tudo o que eu sinto que eu nã...
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
SAPO Blogs