Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

Se liberte da acumulação

19.11.15, Rodrih
Com base no post que montei sobre acumuladores tive o depoimento de uma leitora do blog, que além de manifestar sua frustração pede, nas entre linhas, socorro. O desapego que ela tanto quer ter só vai ser possível quando ela parar de querer organizar as coisas e começar a eliminar. Eu sei, parece um insulto eu dizer isso, mas você precisa acreditar nisso. Mas não elimine tudo de (...)

O medo atrai.

12.11.15, Rodrih
Tenho percebido em meus diálogos com as pessoas, em especial com as mulheres – com quem tenho mais facilidade de comunicação, a força que o medo que sentem. Medo de ficarem sozinhas, medo de serem traídas, medo de dependerem dos companheiros, medo de serem assaltadas, medo de todo tipo. Tem pessoa que vive pelo medo. Considera-se que o medo é algo bom até certo ponto, pois nos deixam alertas e nos previne de nos metermos em situações de risco físico, moral ou de vida. (...)

Você é hormonal, então sente vazio por quê?

10.11.15, Rodrih
Uma das coisas que mais ouço nos meus diálogos com amigas e alguns amigos é a lamentação de que sentem um vazio quando têm sexo, que não com quem namora, mas com um amigo, colega ou ficante, vulgo P.A*. (pau amigo). É incrível como as pessoas conseguem se iludir com aquilo que só lhes faz mal. Então eu digo o que vou dizer aqui, um conceito do porquê é importante que não se pare de sentir prazer, buscar e sentir esse sentimento tão curativo, senão homeopático. Então vou (...)

Enquanto o amor não vem

29.09.15, Rodrih
Oi Rodrigo, bom dia!?? Sou Tábata de Alencar, estou a morar em Gaia - Portugal e meus pais são brasileiros. Sou portuguesa mas aprendi a falar mais o português brasileiro do que de portugal. Estou com 26 anos e a desenvolver a profissão de nutricionista. Estou a navegar assiduamente pelo teu sítio e sempre quis saber sobre uma coisa, mas tu nunca te pronunciaste a respeito directamente. Se tu puderes reflectir sobre o que se pode estar a fazer enquanto não se encontra a pessoa (...)

Mulheres Descartáveis

15.09.15, Rodrih
Há algumas semanas conversando com um conhecido sobre as coisas da vida, toquei no assunto sobre mulheres, o quão é maravilhoso estar com elas, porque aprendemos tanto quanto ensinamos, além de sentirmos verdadeira alegria nos gozos de nossas existências, até mesmo quando elas são indigestas com cobranças intragáveis. Ainda assim, mesmo com essa "falha" - dentre tantas outras, é muito bom estar com elas. Então esse conhecido, um homem de idade avançada, experiente na vida (...)

Gari Gata...

03.09.15, Rodrih
Nós brasileiros já estamos tão acostumados a sermos feitos de bobos, que qualquer besteira já nos faz admirar e achar lindo. A começar pelo o que fazem os políticos do PT e seus aliados, todos nós somos idiotas aplaudindo idiotas a troco de nada. Tiramos um idiota e pomos outro em seu lugar, mas não temos coragem de levantar o braço e dizer: "Põe eu, que arrumo essa joça!", porque além de bobos somos medrosos. Eu também não levanto o braço, mas eu sou formador de opiniões - (...)

Considerações fundamentais na decisão de casar-se.

13.08.15, Rodrih
Uma amiga psicóloga, com quem tenho grande afeição e admiração, e também tenho constantes reflexões sobre o comportamento humano, me fez uma pergunta que me chamou a atenção. Não tanto pela pergunta em si, mas por eu que tanto falo de relações, não ter falado desse tema ainda, muito embora haja fragmentos deste assunto em alguns posts, como o título Acometido. A pergunta que (...)

Transformações do Sofrimento Psíquico, com Christian Dunker

02.08.15, Rodrih
O psiquiatra Christian Dunker fala sobre as transformações do sofrimento psíquico, traçando um panorama histórico dos últimos 100 anos. Ao longo dos tempos ele foi reconhecido e tratado de diferentes maneiras. À medida que o mundo se transforma, novos olhares são lançados sobre este tipo de sofrimento. A cada época o seu sofrer. Dunker ainda nos traz a noção de que o sofrimento psíquico está relacionado também ao nosso modo de expressão, a maneira como conseguimos ou (...)

Andando em Círculos

30.07.15, Rodrih
Tenho percebido que vivemos a vida de maneira tal, como se estivéssemos no meio das dunas de um deserto. Sem bússola, sem ventos, sem um referencial, uma direção que nos norteie para onde devemos seguir. Andando em círculos, vivendo o vivido nos instantes que se repetem de forma diferente. Falando as mesmas coisas, reclamando dos mesmos problemas, nos calando para as mesmas pessoas, apaixonando pelo mesmo tipo de sentimento autodestrutivo, ouvindo as mesmas músicas, com os mesmos (...)

Não acreditar no amor

24.07.15, Rodrih
Venho ao longo dos anos tendo cada vez mais entendimento de que não devo/devemos acreditar no amor. Partindo do princípio lógico de que por amor Deus criou a Terra e seu firmamento, e depois de um monte de blablabla ele criou Adão e Eva, que pisaram na bola e foram expulsos do paraíso, mas por amor Deus poupou aos dois e entram aí mais um monte história. Por amor uma porrada de gente morreu no dilúvio por amor aos inocentes, as Cruzadas matou muita gente senão por amor a Deus, (...)