Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

BLOG também é responsabilidade social

13.05.14, Rodrih

 

 

 

Este post é um e-mail de resposta para uma amiga blogueira, sobre o fato dela ter parado de continuar com seu projeto de refletir sobre um tema muito interessante e que atinge a maioria das mulheres apaixonadas ou, no mínimo, que desejam arduamente se apaixonar, viver a satisfação de ter alguém consigo, como companheiro e boa companhia. Em resposta, que a princípio seria enviada por e-mail, mas como o tema é muito importante e pode vir a ser útil para outras pessoas (é assim que funciona a mente de um blogueiro, expansiva e escalonável, altruísta), então trouxe para cá a minha resposta, tomando a precaução de não fazer exposições descomedidas. Então respondi: "Eu li o seu email e de pronto não quis responder. Fiquei pensando sobre a responsabilidade que assumimos como blogueiros, formadores de opiniões, ajudadores das causas excluídas para pessoas excluídas e entendi que nem sempre se vai com perseverança nas coisas que acreditamos serem atos do bem. Talvez seu blog tenha um conteúdo importante para aquelas mulheres que precisaram/precisam dele para se sentirem mais incluídas, encorajadas e menos frustradas, porque o conteúdo tirava das mãos dos homens (os machos alfa) o poder de decisão da escolha, e trazia de volta para as mãos femininas esse direito de escolha.Talvez você seguiu uma só linha de raciocínio nos seus posts e se cansou disso, tornando o seu blog um diário pessoal, quando na verdade, uma vez lançado na internet deixou de ser seu e passou a ser de todas as excluídas, desiludidas, frustradas, apaixonadas, sonhadoras, decididas, irritadas, resolvidas, determinadas, mal-resolvidas etc., enfim, das mulheres que buscam alento nas experiências de pessoas formadoras de opiniões. E o seu blog não era só um diário pessoal, mas um espaço de formação de opinião. Meu blog já o abandonei algumas vezes, no entanto voltei porque vi que estava fazendo bem às pessoas que nele encontravam refúgio, paz de espírito, ou mesmo incentivo para dar um fôda-se pra muitas coisas. Estou sempre relendo meus posts, refazendo-os, atualizando os textos, refletindo sobre as reflexões que tive e amadurecendo-as, corrigindo erros de português, esclarecendo opiniões que muitas vezes nem eu mesmo consigo decifrar o que foi que eu estava pensando. Às vezes penso que eu estava chapado ou emaconhado quando digitei o post, de tão confuso que era para entender, então eu releio, tento relembrar o sentimento daquele momento e redigito de maneira menos emaconhada. Como não tenho vícios de qualquer natureza química (tóxico, álcool nem entorpecentes), deduzo que a insistência de digitar uma reflexão na madrugada é o que me faz parecer ser maluco ou drogado; mas a causa sempre é o sono. Meu blog está recheado de minhas tristezas, geralmente amorosas, frustrações que partiram meu coração, e tenho vomitado minha raiva nas amadas que amei e por quem fui traído, por quem errei no erro de cada uma delas, e a mágoa só tem feito mal a mim, como se eu fosse uma serpente que picasse a mim mesmo e sofresse com meu próprio veneno por não ter coragem de procurar a cada uma delas e externar minha ira. Talvez um amor ainda preservado restante dentro do meu coração. Então eu tenho deletado as partes vomitadas e referidas às amadas - que por mais ódio que eu destile sobre elas, ainda as amo de alguma forma, porque elas foram responsáveis por construir valores e destruir paradigmas velhos. Ter um blog é ser conscientemente insano, porque é um fardo, pedras para carregar nos ombros cansados e doídos, que já aguentam outros fardos que a vida nos impõe para suportar, mas se sentimos necessidades de montar um blog foi porque ouvimos o chamado para ajudar na aquarela da formação de opiniões. E tem muitas pessoas que precisam de nosso altruísmo, de nosso ponto de vista, elas agradecem (mesmo sem agradecer de fato). Blogs como o meu, e o seu requerem que amadureçam junto com nossa maturidade, que sejam remodelados como a vida nos remodela e reinventados a todo instante. Não são só ideias ao vento, nem papéis de rabiscos, são espaços em que seguimos com nossa maneira de enxergar o mundo e servimos de setas que apontam para um caminho, às vezes até erramos nas palavras, mas dificilmente nos equivocamos na intenção do projeto, que com outra relida podemos consertar e tornar o resultado mais bonito, mais interessante e com melhor discernimento. É por isso que poucos criam blogs e milhares os frequentam, porque há uma necessidade na busca da opinião daquele que se doa em fazê-la. Talvez seja um momento de deixar o blog parado, mas ele não fica parado, porque pessoas vão encontrá-lo, irão lê-lo, refletir suas reflexões, e podem até pôr em prática na vida delas, e o pior de tudo é que pode também e até dar certo o que você sugeriu e talvez não tenha dado certo pra você. É assim que funciona o poder da informação e da opinião valoral, e se um dia você sentir vontade de voltar ao seu blog para continuar seu trabalho, que diga-se de passagem não é fácil, então você entenderá o quanto você fez falta durante o tempo que esteve ausente." Beijos, Rodrigo Caldeira.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.