Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Desde 2008 - 716.000 visualizações em todo o mundo. Diário pessoal aberto, onde se pode ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, vislumbrar reflexões psicológicas, sociais e até pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Desde 2008 - 716.000 visualizações em todo o mundo. Diário pessoal aberto, onde se pode ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, vislumbrar reflexões psicológicas, sociais e até pessoais.

Mapa e guia de sobrevivência do namoro online.

09.02.24, Rodrigo Caldeira

Aplicativos de namoro online mudam a forma de relacionamento de jovens  chineses | China2Brazil

Guia para os homens

No começo, entrei a primeira vez num site de relacionamento, para realmente encontrar alguém com quem eu pudesse me relacionar. Mas tudo começou pela rede social "Gente de Fé", promovido pela comunidade católica "Canção Nova". Nele conheci uma garota, com quem tive intensa conexão e imensa paixão a uma distância de 1.500km, cerca de 14 horas de viagem de carro. Foi a primeira experiência, e quase única, sobre o que é uma paixão de verdade, com reciprocidade e muita vontade de estar perto. Infelizmente, a comunidade Canção Nova abandonou o projeto, que administrava muito mal e com isso vândalos da internet tomaram conta do site. O que aconteceu serviu de referência sobre o que é paixão intensa e certa. Foi o melhor exemplo do que deveria ser uma paixão recíproca, determinada, interessante e muito empolgante.

 O namoro aconteceu, comigo em Brasília-DF, e a moça em Maringá-PR, porém a relação não avançou muito, por causa do preconceito da mãe da moça por ela estar se envolvendo com alguém com o dobro da idade dela.

Depois dessa experiência não me recordo de novas oportunidades assim. À medida que o tempo avança, vemos mais meninas golpistas, que se aproveitam de sites de relacionamentos para iludir, trapacear e aplicar o estelionato amoroso em homens carentes, ou homens que querem ter uma relação séria com alguém. Acontece também com homens estelionatários sentimentais.

1ª FASE: No universo online das redes de relacionamentos amorosos se encontra de tudo. 70% são mulheres com quem ninguém deveria se envolver, porque são meliantes, todas fazem parte da "gangue de mulheres estelionatárias dos sentimentos". Veja a lista dos tipos de mulheres, para identificar as que se deve evitar envolvimento:

Prostitutas: A menos que você tenha familiaridade de se envolver e investir seu suado dinheiro com prostituição, essas são as primeiras da lista nessa gangue de armadilhas online. As prostitutas, são garotas de programas sexuais, que se inscrevem nos sites/apps de relacionamento afim de fisgar homens aventureiros e inexperientes. 

Only-fans: (Apenas fãs). São as garotas, muitas delas literalmente "de família", que vendem nudes em fotos ou vídeos. Geralmente, elas têm um público certo como clientela, que são homens que gostam de "provar" aos amigos sua capacidade de conhecer mulheres bonitas, e delas conseguir suas fotos íntimas, como se estivessem numa relação amorosa e a pseudo-namorada tenha enviado fotos e vídeos íntimos para o amado. Mas que a relação acabou e ele estaria se vingando da moça. Todas as fotos e os vídeos são ficção, igualmente sua história e seu potencial sedutor. Tudo comprado.

Sugar-baby: É prostituta também, sendo, geralmente, menina de família, mas que não assume seu papel de prostituição, trocando a nomenclatura de receber pelos serviços de acompanhante de luxo e sexo, pela nomenclatura de receber mimos, viagens e generosidade com mesadas semanais de seus pseudo-namorados, os sugar-daddy, principalmente aqueles de idade acima dos 35 anos. Muitas delas, menores de idade, apoiadas por suas próprias mães, que ficam com o dinheiro da mesada para custear as despesas de casa.

Soropositivas: São mulheres belíssimas, porém com aids, que escolhem suas vítimas à revelia, às vezes por seu comportamento abusivo, às vezes por um comportamento insistente e muito chato ou ansioso. Dentre elas estão as "suicide girls" (garotas suicidas). Elas incentivam o sexo desprotegido para, enfim, aumentar significamente o contágio. Tem aparência saudável graças ao avanço dos medicamentos e suplementação vitamínicas. Elas costumam perfurar os envelopes dos preservativos com alfinetes, caso percebam que seus alvos desejem fazer um sexo seguro, portanto, nunca devem aceitar que elas usem os preservativos que trazem consigo em suas bolsas.

Suicide girls: São aquelas moças com mais de 80% do corpo tatuado. Geralmente são modelos do universo tattoo, mas que se tornaram referência de fetiches sexuais de criminosos ricos, as tendo como referência de poder e sedução. Atualmente, qualquer moça de qualquer classe social consegue ter seu corpo inteiramente tatuado, e são objetos sexuais de funkeiros, universitários e traficantes. Algumas são soropositivas, muitas são adeptas ao BDSM (Bondage Discipline Sado Masochism). Essas mulheres tem ligação direta com o mundo do crime, sempre conhecem algum sujeito desse meio, e são um perigo anunciado para um leigo aventureiro.

Transexuais: São travestis biologicamente melhorados, com aspectos ultra-realistas femininos, que algumas vezes passam despercebidos até aos olhos das mulheres biologicamente originais. Geralmente avisam que são "trans", e executam o mesmo papel das mencionadas anteriormente. Também há aquelas que não avisam e aplicam o golpe amoroso no incauto interessado. Há, entre os travestis, as que passaram por cirurgia em suas genitálias, e se identificam como "resignadas". O processo cirúrgico tem duas maneiras de resignar o paciente: Extraindo o testículo já reduzido pelos hormônios femininos tomados por injeções constantes e criando uma cavidade interna, como uma "vulva feminina", constituída pelo próprio membro, cuja glande faz o papel do clitóris feminino, porém mais internamente. Outro procedimento cirúrgico é apenas criar a cavidade interna, no qual o travesti esconde seu órgão sexual masculino neste canal, podendo ser confundido como uma mulher pelo desavisado parceiro heterossexual. 

Piranhas: São mulheres vulgares, promíscuas, que não perdem tempo com o flerte, querem sexo e toda orgia que lhe for sugerida. Dentre elas estão as ninfomaníacas, que sofrem desse distúrbio mental, e, quando não estão em plena atividade sexual com estranhos de qualquer natureza, tiram proveito dos flertes e diálogos para se masturbarem inúmeras vezes, enquanto conversam com o interessado pelo WhatsApp ou Telegram. Às vezes por telefone também.

Casadas: São mulheres, geralmente muito bonitas, que se casaram com homens mais velhos, geralmente executivos, policiais, médicos, bombeiros, que estão sempre ocupados em suas funções profissionais, mas que por estarem cansados pelos plantões ou viagens de negócios, deixam a desejar sexualmente às suas amadas. Elas analisam a rotina de seus maridos e montam estratégias de flertes e encontros sexuais em sites de relacionamentos. Sempre dizem que amam seus maridos, que não querem se desfazer do casamento, não passam contato pessoal, preferindo usar canais como e-mail, messenger do Instagram ou Facebook, ou SMS, para não deixar rastros. Alegam que se sentem abandonadas e "querem se sentir vivas".

Love-play: São mulheres que amam brincar de estar amando, mas estão jogando com os sentimentos do sujeito amado. Sem pedir dinheiro nem mimos, apenas querem brincar com o sentimento, sentir a energia dessa relação virtual. Não têm intensão de conhecer o parceiro amoroso pessoalmente, usam das mais diversas desculpas para protelar o primeiro encontro, desde doenças infecciosas, acidentes domésticos ou problemas na família, que acabam se tornando novos enredos para a interminável conversa online. Geralmente são mulheres casadas e bem desocupadas, ou aquelas que estão solteiras e querem se sentir menos sozinhas, se tornando parasitas em alguém em busca de compromisso sério.

Serial-dater: São aquelas mulheres que amam toda a adrenalina do flerte e dos primeiros encontros, mas não se interessa em aprofundar as relações. Usufruem da paixão do interessado e não passam do primeiro encontro, fazendo o distraído apaixonado pagar um drink e um bom jantar, com suas lábias incrivelmente cativantes, diálogos intensos, olhares sedutores, deixando o apaixonado certo de sua decisão pela amada, mas depois desaparecem, deixando o iludido preocupado com o paradeiro da doce garota. As que possuem um mínimo de consciência responsável, avisa ou sinaliza que a relação não irá adiante, mas a maioria não avisa, simplesmente desaparece para sentirem a sensação prazerosa da preocupação do incauto apaixonado. Muitas vezes, não bloqueiam num primeiro momento, para terem certeza de que o pretendente está preocupado ou sofrendo de amor por elas, vindo a bloqueá-los logo em seguida.

Relacionamento em sites e aplicativos nunca foi a melhor opção para conhecer a pessoa amada, com quem se deseja ter uma vida social e familiar. Há quem consiga encontrar a cara-metade, mas é um casal formado seriamente a cada 500 pessoas, ou seja, 2:500. Na loteria das relações amorosas, o risco de cair em algum desses golpes é constante, podendo envolver mais do que investimento emocional, como dinheiro e até patrimônio pessoal. Toda pessoa, principalmente a mulher - que não faz parte dessa gangue virtual, que cai em sites de relacionamentos ou encontros estará fadada a golpes de toda natureza. Para isso ser evitado, seguem alguns cuidados a serem tomados:

Cuidado com as estelionatárias: Mesmo com dicção e escrita precárias por perceptível falta de estudos e educação básica, as que mais dão golpes na internet são moças com idade entre 20 e 35 anos, geralmente de cidades pequenas do interior, que se profissionalizam na arte de enganar, iludir e arrancar do apaixonado bom dinheiro de ajuda de custo em alimentação, gás de cozinha, lanche, passagem, gasolina, contas de energia etc. Usam da emoção dramática para convencer os interessados, como familiar doente ou recém-falecido, falam muito que são trabalhadoras, sempre correram atrás de ganhar dinheiro honestamente, mas estão desempregadas momentaneamente, e chamam suas vítimas de "amor", "anjo", "bebê", "vida", elogiam suas vítimas como "homem maravilhoso", "homem que sempre sonhou em ter", mas raramente pelo nome, até porque não lembram com quem estão se comunicando, já que se relacionam com mais de uma vítima ao mesmo tempo. Estudam o indivíduo e se deleitam prometendo ser o que eles quiserem que elas sejam, tudo pelo bem do novo relacionamento. Ostentam roupas, bolsas e semijoias ou joias nos status do Whatsapp, Facebook e/ou Instagram, dancinhas de funk proibidão e sertanejas, e passam a imagem de meninas inocentes. As mais meliantes, usam o nome, CPF e contas bancárias de suas filhas menores de idade, pois sabem que são protegidas de consultas de checagem. E quando são descobertas fazem escândalos emotivos, quase convicentes, choram muito, insistem o perdão e fazem selfies de seus rostinhos chorosos, sofridos, deprimidos, a fim de causar comoção do trouxa e não perder sua fonte de renda mais recente.

O que fazer: Se a golpista demonstrar qualquer um dos comportamentos acima mencionados, ligue seu sinal de alerta, é muito provável que estará se relacionando com uma estelionatária sentimental. Se ela der o azar de passar o CPF para receber pix, acesse um site de consulta de CPF, que são pagos, mas valerá a pena esse investimento, que te mostrará melhor sobre a meliante com quem você estará conversando. Poderá acontecer duas situações: A consulta ao CPF não aparecerá nada, simplesmente mostrará que essa pessoa é um fantasma. Se isso acontecer, será porque ela estará usando o CPF de sua filha menor de idade, ou o CPF de uma criança, que tanto pode ser sobrinha ou filha de uma amiga, e o nome será dessa criança também. Ou a consulta ao CPF mostrará que a moça está com o nome limpo como um cristal, mas não se iluda, observe o comportamento, as vestimentas e compare com seu estado social, seu tipo de trabalho - geralmente estão desempregadas, mas ostentam roupas, bolsas e sapatos de luxo.

Dificilmente se encontrará um homem, que não tenha caído no golpe dessas meninas inocentes. Se encontra de tudo o mais nesses sites/apps de relacionamentos e encontros, como mulheres problemáticas, principalmente aquelas que falam que são intensas, ou paranóicas, que estão sempre desconfiadas do candidato em conquistar seus corações.

Cuidado com os perfis fakes: Se percebe que é um perfil fake, quando a foto está marcada com a marca-d'água de algum aplicativo ou site, a imagem não é nítida ou a foto é muito produzida. Poderá perceber pela apresentação escrita pela própria beldade, isso se estiver escrita, e notará que tamanha beleza não vai de encontro com a forma inculta da escrita. São perfis fakes de alguém mal intencionado.

O que fazer: Não corresponda com essa pessoa, que será qualquer coisa do outro lado, menos aquela que você pensa ser pela(s) foto(s) que está vendo. A pessoa por trás desse perfil fake acessa perfis reais de redes sociais de outros países, raptam suas fotos que tenham mais semelhança com os ambientes brasileiros e criam um perfil convincente. Desconfie sempre. Se a pessoa desse perfil quiser te adicionar no WhatsApp ou Telegram, se atente ao número de contato. Se for um número que não seja do Brasil, questione a pessoa, e peça que envie mensagens de áudio, para que possa ouvir a voz. Para todos os efeitos evite se relacionar com esse tipo de pessoa.

Cuidado com as silenciosas ou introvertidas demais: São mulheres atraentes, mas que não se envolvem no diálogo ou não manifestam interesse de continuidade de um assunto. Deixam o interessado de repente, ainda que avisem que irão sair por alguns instantes e nunca retornam. Esse perfil de mulher é problema garantido, porque deixará o interessado em estado de alerta para agradá-la ou ansioso por nunca conseguir ter um diálogo recíproco. Estão sempre na defensiva e não demonstram qualquer tipo de interesse pelo pretendente, mas respondem que tudo é possível. 

O que fazer: Deixe o diálogo morrer por si só. Não alimente esse tipo de relação, não vale a pena. Geralmente, essas mulheres já estão com idade próxima à maturidade, a partir dos 35 anos, sem filhos, nunca casaram, moram com a família, tem muito apego pelos pets, principalmente gatos. Investir nessa relação, sendo uma pessoa mais extrovertida e acolhedora é perda de tempo, vai te adoecer psicológica e emocionalmente.

Cuidado com as amáveis demais: Há aquelas que são carentes, dóceis, declaradamente passivas e fazem coleção de encontros, porém anunciam que são fiéis, leais e querem relacionamento sério. São mulheres que são atraentes, inteligentes e amorosas, são envolventes e conquistam espaços na vida do interessado, como na família e seus amigos. Geralmente são mulheres mais maduras, mais vividas e que aprenderam a arte de organizar seus relacionados, fazendo questão de terem privacidade em suas vidas pessoais. São nessas "privacidades" onde elas podem estar abrindo passagem para outros interessados ou meros casos amorosos com amigos ou novos conhecidos. 

O que fazer: Se está se relacionando com uma mulher com essas características, procure estar mais presente na vida delas, seja pessoalmente ou por telefone, marcando de encontrá-la sem aviso prévio (mas sem aparecer de repente, pois isso é invasivo), mas mostrando para ela que está presente em sua vida. Isso fará com que ela elimine outros possíveis relacionados e se dedique mais a você, até não conseguir manter outra relação paralela.

Cuidado com as viajantes do tempo: Não bastasse tantos desafios, ainda têm aquelas que não usam fotos atuais, mas de quando eram dez anos mais novas. Ainda tem as que usam fotos de mulheres parecidas com elas, porém com aparência mais bonita, e misturam entre suas fotos para confundir o visitante ao seu perfil.

O que fazer: Ao perceber que a mulher está fazendo uso de fotos semelhantes, e seu intuito é se relacionar seriamente com aquela da foto mais bonita, tenha em mente que estará caindo numa cilada e bloqueie a pessoa sem muita explicação, pois ela sabe o que está fazendo e continuará com isso, independente do que você disser, porque já se viciou em ser quem não é.

Cuidado com as miguxas interesseiras: Além das que só querem conversar ou das que querem se relacionar com o sujeito por seu emprego - geralmente servidor público ou médico. Sua primeira pergunta é o que o sujeito faz, com o que trabalha e, gradativamente, vão peneirando suas informações para saber se sua fonte de renda é atraente. Elas também são rápidas para cortar relações se percebem que estão conversando com homens desinteressantes, geralmente trabalhadores honestos, que ganham o pão-de-cada-dia.

O que fazer: Se o objetivo era relacionar seriamente, mas percebeu que sua vida não é interessante o bastante como servidor público ou médico, então procure por outra mulher menos interesseira. 

Cuidado com o banho-maria: Diz a lenda que se jogarmos um sapo numa panela; enchê-la com água fria similar à de uma lagoa; e aos poucos formos aquecendo a panela com o sapo dentro, é natural que ele fique estático e não reaja. Irá se adaptando, sem perceber que a água vai fervendo aos poucos… e vai morrer. Há aquelas que se acham a última Coca-Cola no deserto, que levam o interessado no banho-maria, testando sua paciência, levando-o à exaustão, tornando o interesse de uma relação futura à uma monotonia incurável, matando qualquer possibilidade de acontecer uma relação entre as partes. Usam de expressões como: "me desvenda", "me surpreenda", "me descubra" etc. São "love-play" enrustidas.

O que fazer: São essas mulheres que destróem a fé do indivíduo, porque vão consumindo sua energia em doses homeopáticas, até que nada reste nele, além de fadiga emocional. Dificilmente um pretendente consegue sair dessa teia grudenta, porque elas sempre tecem mais teias, deixando o sujeito confuso e se sentindo culpado por estar desconfiando desse tipo de mulher. São como aranhas e o pretendente é sua presa. O indivíduo precisa deixar os diálogos menos intensos e menos constantes, porque esse tipo de mulher vai perdendo o interesse também, até que passam a demonstrar menos intensidade e a relação se perde naturalmente. Ou então poderá radicalizar, dizendo o que está sentindo, o que está percebendo e que não irá continuar mais com essa relação. Esse tipo de mulher, geralmente, vai "respeitar" sua decisão, e deixará você partir, preferencialmente com sentimento de culpa.

Cuidado com as sex-appeal: Como disse Givas Demore (mestrado em música), "Se apaixonar pelo que parece ser é correr o risco de nunca amar o que realmente é". As sex-appeal são especialistas em seduzir pelos olhos do interessado. Lindas, de corpo encantador, estão sempre usando da beleza externa para induzir à crença de sua beleza interna. Como diz o ditado, que o peixe morre pela boca, o homem apaixonado e fisgado pela beleza de uma sex-appel será o prato principal de sua própria derrota. 

O que fazer: Curta o show, mas não se envolva seriamente. São como dançarinas strippers, que estão atuando como exibicionistas da beleza que possuem, seduzindo com algum interesse camuflado, que, geralmente, não é exatamente um interesse pelo amor do pretendente. Estão mais para "love-play" ou "sugar-baby" do que para uma apaixonada pelo sujeito.

As fotos dizem mais do que se mostra: Se quer ter uma relação séria com uma mulher, busque nela seu alto-valor, e observe suas fotos. Poderá ver de tudo, desde de sexualização explícita e exposta, a interesses definidos. Mulheres com cerveja na mão, tendo o plano de fundo carros tunados de som pesado ou carros luxuosos ou motos, ou lanchas estão dizendo claramente que elas gostam desse tipo de gente, do glamour, da luxúria. Mulheres que escolhem postar com plano de fundo de monumentos em país estrangeiro, estão dizendo que preferem se relacionar com quem viaja para o exterior ou com estrangeiros. Mulheres que se expõem sexualmente, estão dizendo que estão familiarizadas em serem sexualizadas em público. 

Prestar atenção nas fotos já adiantará muita informação relevante sobre o que se pode encontrar pela frente, numa relação amorosa com alguém.

Preste atenção no perfil: Há quem não responda nenhuma lacuna do perfil social, como altura, peso, cor, religião, vícios, tatuagem/marca, estilo de vida, formação etc. Essas já deixaram claro que não estão interessadas em se relacionar com alguém. E há as que respondem tudo, escrevem uma boa apresentação e deixam o visitante confortável em como ela pensa. Observe a escrita, se está correta ou é escrita de forma coloquial ou regional. Tenha em mente que a mulher que sabe se apresentar, geralmente é dotada de inteligência e certa maturidade.

2ª FASE: Quando se encontra uma possível alma-gêmea, inicia-se uma nova fase de desafios. Geralmente, as partes trocam números telefônicos para se falarem pelo WhatsApp ou Telegram, sendo mais diretas e objetivas. Entretanto, há outras que se comunicam somente por e-mail, skype, messenger do Instagram ou Facebook ou SMS, a fim de tornar suas vidas ultra-secretas.

Para saber o melhor termômetro, que dirá se a parte interessante para um relacionamento está realmente preparada e envolvida, fique atento à referência da reciprocidade. A forma como a parte deseja conversar com o pretendente vai antecipar informações, sobre como quer levar a nova relação.

WhatsApp: Aquelas que dão o contato ou adicionam para se comunicarem pelo WhatsApp são mais objetivas, apesar que pode acontecer - e geralmente acontece, da pessoa deixar de ser comunicativa, como estava no site/app, e se tornar monossilábica ou ausente. Simplesmente desaparece, ficando raramente no "bom dia/ boa tarde/ boa noite". No WhatsApp os assuntos poderão fluir intensamente, podendo estreitar a relação com chamadas e chamadas por vídeo, caso as partes estejam em constante sintonia.

Telegram: Pelo Telegram, são objetivas, porém conhecem as ferramentas do aplicativo, conseguindo sumir do mapa sem deixar rastros. Então não é muito confiável acreditar que esse tipo de comunicação será seguro de acontecer uma relação amorosa. De repente, o apaixonado pode entrar no Telegram e não encontrar mais sua amada por lá. Apesar de ser melhor do que o WhatsApp, o Telegram deixa a desegar em algumas situações.

SMS/ e-Mail/ Messengers: Pelo e-mail, SMS e/ou messengers são as que não estão muito afim de ter um relacionamento próximo nem afetivo o bastante com o pretendente, levando-o em banho-maria pelo tempo que acharem conveniente, tendo-os como "miguxos", ou na expressão popular "amigos-gays", ainda que demonstrem interesse se comunicando diariamente. São mulheres do tipo "recém", isto é, podem ser  recém-separadas, recém-viúvas, recém-demitidas ou recém-empregadas, que estão vivendo todas as possibilidades da liberdade recém-conquistada, mas também podem ser do tipo de mulher insegura demais.

Essas mulheres estão estudando seus parceiros, sendo sim trabalhadoras, e/ou mães e pessoas ativamente sociais, mas que não querem se confundir no corriqueiro WhatsApp, conseguindo se organizar melhor nos e-mails/ SMS ou Messengers, listando cada pretendente em pastas de conversações diárias, como num jogo de comparações, essas mulheres analisam seus pretendentes, para escolher aquele que melhor trará retorno emocional e estrutural para elas.. Pode acontecer desse tipo de mulher estar se relacionando com apenas um pretendente, o que não muda o conceito do "banho-maria". Geralmente, esse tipo de comunicação desgasta a pretensão e torna a relação monótona e superficial.  

A "date" ideal: A mulher que vai se revelar como aquela ideal é a que se entrega, deixa clara sua intenção, não esconde informações pessoais, mantém diálogos seja com áudios grandes no WhatsApp, telefonemas demorados ou mensagens com parágrafos, e não somente com uma ou duas linhas. Ela é interessada e portanto se torna interessante, faz planos futuros, procura saber como está seu envolvido e expressa grande sentimento de admiração e desejos. Também procura incluí-lo em sua relação familiar, mostrando o pretendente para seus familiares e comentando sobre como seus pares receberam a notícia, deixando o enamorado mais envolvido, preparando o território para sua relação se concretizar. Ela consegue mesclar beleza, sedução, inteligência, projeção de sua vida com seu pretendente, de maneira que tudo pareça simples e realizável. Ela envolve o interessado, se mostrando interessada também, sem fazer jogos, sem omitir informações, sendo ela segura de seus sentimentos pelo pretendente. Começa a buscar em seu enamorado conselhos, sugestões, opiniões e até permissões para algumas atitudes ou tomadas de decisão. É inteligente em mostrar-se envolvida e cúmplice, tornando-o cúmplice por tabela. Esse é o termômetro para se saber que a relação irá progredir, que as partes são interessantes, que se tem tudo para dar certo, ou para se antecipar de cair em golpes ou armadilhas de sentimentos.