Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

Esvazie o ônibus em sua estrada

22.09.16, Rodrih
Conversando com uma amiga sobre relacionamentos infrutíferos expliquei à ela sobre o lance da energia sensorial, que em algum post aqui explico bem (acredito que está num post que diz "conheceis a verdade e a verdade vos libertará"), além de outros posts que também comento sobre isso. Ela me contava que os caras só a queriam para comê-la e não para (...)

MENOS é MAIS

05.07.16, Rodrih
Constantemente vemos no Facebook pessoas com 500, 1.000, 4.000 ou mais amigos. Eu nunca entendi essa matemática no quesito benefício. Não sei, posso estar errado. Mas conversando com uma psicóloga do RH de uma multinacional, ela deixou escapar que é fator primordial que os candidatos tenham perfis no Facebook, Linkedin, Instagram dentre outros. (...)

Segunda eu começo...

04.07.16, Rodrih
  Por: Cristina Luckner, da Revista SuperInteressante - Ed. 273/Dez-2009 Muita gente promete perder alguns quilos. Outros juram de pés juntos que vão parar de fumar. Alguns se obrigam a trabalhar mais... e a gastar menos. E uns garantem nunca mais fazer piadas estúpidas (ops, esses somos nós, da SUPER). É uma força de vontade que só, uma concentração de energias e pensamentos rumo ao objetivo. Até que a promessa vai para o saco. Pode chamar de síndrome da segunda-feira (o dia (...)

Maomé Lula, venha a nós o vosso reino!

05.03.16, Rodrih
(Para tradução: Cédula de maior valor monetário do Brasil com os dizeres: "Lula seja louvado", em analogia à cédula original brasileira em que o louvor é direcionado a Deus) A maior parte do Brasil um dia decidiu acreditar num cara que não tinha um dedo na mão e não tinha um diploma universitário, que tentou vencer as eleições diretas sobre Collor, seu rival político, e não conseguiu, certamente e também porque era mal vestido, mal arrumado e se mostrava com um (...)

Andando em Círculos

30.07.15, Rodrih
Tenho percebido que vivemos a vida de maneira tal, como se estivéssemos no meio das dunas de um deserto. Sem bússola, sem ventos, sem um referencial, uma direção que nos norteie para onde devemos seguir. Andando em círculos, vivendo o vivido nos instantes que se repetem de forma diferente. Falando as mesmas coisas, reclamando dos mesmos problemas, nos calando para as mesmas pessoas, apaixonando pelo mesmo tipo de sentimento autodestrutivo, ouvindo as mesmas músicas, com os mesmos (...)

Amor Próprio, uma questão de dignidade.

09.04.15, Rodrih
Há bom tempo, desde que me envolvi com a primeira mulher que viria entrar na minha vida, e ininterruptamente até a última com quem me relacionei entre tapas e beijos, não obstante e também com uma a quem prestei serviços (ou pelo menos tentei) têm, entre si, uma característica peculiar: O CONVÍVIO CORROSIVO. Me dei conta hoje, agora, para dizer a verdade, aqui às 03:39 horas da manhã, em que estou morrendo de sono, com febre e com a garganta inflamada. Sinto fome e minhas (...)

Todo mundo só quer casar

17.05.12, Rodrih
  Depois que me tornei um solteiro bon vivant - e entende-se que bon vivant não é o mesmo que don ruan ou casanova, mas sim um homem de idade madura que vive sozinho por ser solteiro, também por ser vivido e experiente em relações amorosas - entende-se que ser experiente em relações amorosas não é o mesmo que ter se dado bem nelas, mas ter se tornado um companheiro cada vez mais sensível e amoroso com a mulher, muito embora algumas não merecessem tanto esforço - percebi que o (...)

Não posso estar deprimido, posso estar distraído..

17.04.10, Rodrih
Adaptação sobre a reflexão original de Facundo Cabral, "Não estás deprimido, estás distraído." - dita em primeira pessoa. As colocações em itálico também são adaptações. Eu não estive deprimido, estive distraído, distraído em relação à vida que me preenche. Distraído em relação à vida que me rodeia: Golfinhos, bosques, mares, montanhas, rios. Eu não devo cair como caiu (...)