Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

Viver sem culpa, renascer

26.03.16, Rodrih
Post de 17.04.2010 (5:05h) Revisto e atualizado.   Todos nós precisamos de alguém que precise da gente, mas quando chega um momento em que, infelizmente, nos tornamos dispensáveis, quer por termos perdido o "valor", o status, a beleza, a credulidade, a simpatia ou seja, o interesse em geral (frisa-se: "interesse"), então somos lançados na vala dos (...)

Nós, HOMENS, vemos tudo em vocês, SQN

15.12.15, Rodrih
Na relação entre um casal há sempre aquela parte que é mais insegura. Geralmente é a mulher, num misto desse desconforto com, e também, a vaidade intrapessoal em que se propõe diante da relação. Esse tipo de comportamento acontece porque a mulher não está satisfeita consigo mesma, tanto em sua aparência, quanto em seu comportamento. Está (...)

Enquanto isso, na prisão...

23.08.12, Rodrih
     O jovem Nelson Mandela em traje tradicional. Preso político de 1962 a 1990, Mandela tornou-se herói na luta contra o apartheid e presidente da África do sul de 1994 a 1999. Poema que inspirou Nelson Mandela nos quase 30 anos em que esteve preso... Do avesso desta noite que me encobre, Preta como a cova, do começo ao fim, Eu agradeço aos deuses, Pela minha alma inconquistável. Na garra (...)

...estou sentado à beira de um caminho que não tem mais fim...

21.07.09, Rodrih
Eu não posso mais ficar aqui A esperar! Que um dia de repente Você volte para mim... Vejo caminhões E carros apressados A passar por mim Estou sentado à beira De um caminho Que não tem mais fim... Meu olhar se perde na poeira Dessa estrada triste Onde a tristeza E a saudade de você Ainda existe... Esse sol que queima No meu rosto Um resto de esperança De ao menos ver de perto O seu olhar Que eu trago na lembrança... Preciso acabar logo com isso