Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

Esvazie o ônibus em sua estrada

22.09.16, Rodrih
Conversando com uma amiga sobre relacionamentos infrutíferos expliquei à ela sobre o lance da energia sensorial, que em algum post aqui explico bem (acredito que está num post que diz "conheceis a verdade e a verdade vos libertará"), além de outros posts que também comento sobre isso. Ela me contava que os caras só a queriam para comê-la e não para (...)

Mulheres Descartáveis

15.09.15, Rodrih
Há algumas semanas conversando com um conhecido sobre as coisas da vida, toquei no assunto sobre mulheres, o quão é maravilhoso estar com elas, porque aprendemos tanto quanto ensinamos, além de sentirmos verdadeira alegria nos gozos de nossas existências, até mesmo quando elas são indigestas com cobranças intragáveis. Ainda assim, mesmo com essa "falha" - dentre tantas outras, é muito bom estar com elas. Então esse conhecido, um homem de idade avançada, experiente na vida (...)

No Brasil ainda temos educadores.

31.08.15, Rodrih
ALUNO QUE PROCESSOU PROFESSOR POR TER TOMADO CELULAR EM SALA DE AULA PERDE CAUSA NA JUSTICA!!! Um menor (aluno), representado por sua progenitora, Silenilma Eunide Reis, acionou judicialmente o professor Odilon Alves Oliveira Neto, requerendo reparação por danos morais porque, pasmem senhoras e senhores, este houve por bem retirar um aparelho de telefone celular das mãos daquele, que ouvia música com fones de ouvido durante a aula. Segundo os autos do processo, a ação proposta (...)

Meninas, PELO AMOR DE DEUS, adiram!!!!

25.10.13, Rodrih
Meninas, moças, mulheres pelo amor do Santo Cristo, parem de se expor tão vulgarmente como andam fazendo dançando o funk, ponham na cabeça que suas danças, por mais sexys que pareçam ser, fazem vocês se tornarem promíscuas, objeto de putaria, inúteis para um bom papo, uma boa companhia, sem futuro nem qualidade para um bom casamento, ou mesmo boas companheiras. O mundo lá fora não precisa ver que vocês sabem rebolar e se expor com tanta vulgaridade. Não entendo isso, eu que (...)