Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

http://blogdorodrigocaldeira.blogs.sapo.pt

Se trata de um diário pessoal aberto, onde as pessoas podem ler experiências pessoais de vida, de relacionamentos, reflexões psicológicas, sociais ou pessoais.

A vida e suas voltas - no amor

20.06.19, Rodrih
Quando eu tinha 16, você estava com 16, mas gostava de um cara de 20. Quando tive 20, você com 20 gostava de um cara de 35. Tive 35, você também 35 e gostava de um cara de 38. Aos 38 anos, você com 38 anos gostava de um cara de 43. Estou com 43, você está com 43 e aceita qualquer idade, 30, 40, 50 anos... até já sorri pra mim! Mas eu estou com uma mulher de 28 anos, que tinha 20 anos quando a gente estava com 35. A vida e suas voltas.

Encontre uma pessoa ideal (respondido)

15.08.16, Rodrih
Janaina a 14 de Agosto de 2016 às 22:23 Em: Passado boa noite Rodrigo. meu nome é Janaina e tenho 21 anos. Eu lei oseu blog muito muito mesmo e as vzs acho q vc é um genio outras vzs acho q é um louco (risos). Eu fico encantada c a sua cultura e a forma q desenvolve os raciocinios, as reflexões e como faz o fechamento dos (...)

Prisioneira de si mesma

26.05.16, Rodrih
Tenho observado que muitas pessoas vivem prisioneiras de si mesmas. Já há aquelas que se dão Carta de Alforria e seria melhor se tivesse continuado prisioneiras. Existem pessoas que são fugitivas e não duram muito tempo em liberdade, voltando a ser prisioneiras de si mais tardar. Também tem aquelas que dão pequenas escapadelas, mas não demoram muito tempo em liberdade, retornando gratuitamente para suas celas. Não posso esquecer das que se iludem dentro de suas prisões de que (...)

Depois...

02.04.14, Rodrih
Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E comeca a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque (...)

Obrigado Alice pela linda canção..

17.07.09, Rodrih
  Jeito de matoPaula FernandesComposição: Paula Fernandes e Maurício Santini Participação especial: Almir Sater     De onde é que vem esses olhos tão tristes? Vem da campina onde o sol se deita Do regalo de terra que o teu dorso ajeita E dorme serena, no sereno sonha De onde é que salta essa voz tão risonha? Da chuva que teima, mas o céu rejeita Do mato, do medo, da perda tristonha Mas, que o sol resgata, arde e deleita Há uma estrada de pedra que passa na fazenda