download.jpg

Tenho recebido muitos e-mails, pelos quais agradeço a todas as mulheres que quebraram o gelo e o silêncio em si mesmas, se encorajando na confiança de expor suas experiências desastrosas nas relações com seus companheiros, cujos homens acreditaram ser eternamente maravilhosos. Só que não (SQN)! Todas, sem exceção, dizem que se encantaram o o homem maravilhoso que conheceram, o príncipe encantado, o garanhão alado que desceu do Olimpo para exaltá-las com a benção de Afrodite... tá, ninguém falou assim, mas, quero dizer, me refiro a esse lance do Olimpo - que ficou meio gay, eu sei, enfim, você entendeu. Então, onde foi que eu parei mesmo.... ah sim, tá, continuando, essas mulheres, todas, ou seja, 100% delas disseram acreditar na dádiva que ganharam como parceiros de suas vidas, só que é importante lembrar aquela frase que define a beleza, e diz assim: "Não existe o belo nem o feio, somos nós que vestimos de beleza o que julgamos belo", em outras palavras, as qualidades de um homem não está exatamente no capricho de suas chegadas, nas apresentações emocionantes. Isso é ilusão, é perfumaria, conversa pra boi dormir. Quanto mais espetacular for a chegada de um homem, menos encantos para a vida ele dará à mulher de sua conquista, o que vale a frase: "Quem casa com pão morre de fome", pois'é, então não se iludam com o começo de nada, apenas curtam e aproveitem. Costumo dizer que você tem três meses para dar no pé, chutar o pau da barraca, desmontar acampamento, picar a mula, sair fora ou ver o cara pelas costas. São três meses armada para detonar a relação, usar sua cota de "apelou, perdeu" sem medo de realmente estar perdendo o cidadão. São 90 dias seguidos em que você verá se realmente o cara aguenta firme e forte. Se ele (ou você) terá a sorte da companhia um do outro. Para essa ocasião temos a frase: "Se pensa que algo te pertence, deixe escapar. Se voltar é porque sempre foi teu, mas se não voltar, é porque nunca o foi". E se não foi, não é que tenha sido livramento, como muitos preguiçosos no amor costumam se justificar já se autossabotando nisso, mas é que você passará a ter uma vida mais liberta, porém, dada à experiência de acerto e erro com este último passará a aplicar novas estratégicas nesse período livre que se apresenta no futuro de sua vida. Ninguém fica sozinho, ou só se torna solitário por toda a vida, porque as coisas se encaixam à medida que você aprende com as pessoas que passam por sua vida. São as experiências que você acumula é que deixam seu "cartão de visitas pessoal" mais interessante e atraente. Quanto melhor reinventada você se torna, maior é a oportunidade de você atrair novas oportunidades para sua vida. Simples assim. Bom, daí que todos os e-mails vêm carregados de muito sentimento, muita decepção, dores, tristezas, angústias, baixa autoestima quase beirando a desistência, fraqueza emocional e uma depressão que parece não ser possível de voltar a ser o que era antes, ou pelo menos quando se estavam solteiras e mais atraentes, diferente da realidade atual em que se vêem gordas, flácidas, sem cores, sem brilhos, sem alegrias, sem vontade de dar a volta por cima, se reinventarem. Olha, preciso jogar limpo com vocês, e vou fazer isso sem cobrar nada. Hoje é até engraçado, porque se tem aquelas pessoas que parecem ser boazinhas, que descobrem uma fórmula para sanar um sofrimento seu, falam pra caramba, mostram textos gigantescos, vídeos de "antes" e "depois", dizendo serem seus amigos, se preocuparem com você e lá no final, lá embaixo, você vê um botão escrito: "Eu quero". Então você faz um cadastro e aparece uma conta para você pagar. Daí aparece o cara dizendo que por essa dica maravilhosa poderia cobrar muitos dinheiros, mas como sua humilde consideração pelos que sofrem cobrará apenas um dinheiro ou dois. Você até paga pela porcaria da joça que poderá te ajudar, e quando você recebe aquele PDF enorme, cheio de embromações percebe que comprou um lixo. Comigo aconteceu isso com um tal de Fábio Souza, num programa de reconstrução capilar, um lixo, uma dieta sem noção, com um monte de vídeos de "relatos" sobre a cura de calvície ou falhas de cabelos. Li 1km de texto, ouvindo aquela voz chata e irritante de um cara humilde, que parecia gostar de mim, mas no final me levou 97 reais. Então já fica a dica, não comprem, é só enrolação para você comprar outro produto importado com vitaminas revolucionárias e tal. Tudo conversa mole. Mas aqui no meu blog não tem disso. Aqui "eu mato a cobra e mostro o pau", sem enrolação, apesar que saio de vez em quando do foco da reflexão, mas.. bom, bora lá, vou continuar. Como estava dizendo, preciso jogar limpo com vocês: Todo esse sofrimento, tristeza, chateação e toda angústia que se sente, acreditem, 50%, ou seja, metade disso, ou metade desse peso é merecido e você patrocinou isso durante a relação. Não adianta, pode dizer o que você quiser, mas uma relação é construída de duas metades, que resultam em 100%. Então a metade de 100 é 50. Você não é 60, 70, 80, 90 e muito menos 100% inocente, vítima da relação não ter dado certo, do cara ter te tratado mal, de ser traída, de ser humilhada, de ser sabotada e outros ados e adas por aí. Você tem participação direta em 50% no fracasso da relação, e ele teve 50% restantes dessa porcaria toda acontecer. É como uma empresa, um relacionamento junto da outra pessoa tem seu capital social, tem sua cota de participação e neste caso, cada um entra com 50% de investimento. Se ele estiver com 60% na relação, significa que você deu 10% de sua parte e ele aproveitou a deixa. Mas ele não terá tido 60% de culpa da relação ter ficado ruim, porque você terá seus 40% + os 10% que cedeu à outra parte. A contabilidade baterá nisso sempre. Se ele tiver invadido sua vida em 95%, então ele terá acabado com a cota total dele, ou seja, 100% da cota participativa dele, e ainda feito um empréstimo ou mesmo ter feito uma consignação com seus 45%, Então você terá sempre o cálculo de 45% de autossabotagem (parte sua que deu a ele) + 5% que você tem consigo mesma e ainda não deu de todo pra ele consumir. O total será novamente 50%, restando 50% negativos dele, e verá novamente 100% resultante no final. Tudo conta, o que pode não ser valor pra você, acredite que será para ele, porque, geralmente, o homem é do contra. É o bicho infeliz de oposição. Se você não se importa que ele tenha ficado fofinho e até barrigudo, pode acreditar que ele se importará, e muito, que você tenha relaxado no quesito boa forma e peso leve. Se para você o futebol dele não incomoda, pode acreditar que para ele sua conversa afiada ao telefone o emputece demais. Então pare de se iludir de que o outro tem que nos aceitar do jeito que se é, porque isso é uma grande inverdade. Um busca no outro o que não tem em si, do contrário, não buscariam nada em você. Façam um teste, saiam da zona de conforto que vivem atualmente e foquem em cuidar do corpo, da beleza, da vaidade e da sua sensualidade. Foque nisso e vai tirando fotos de antes e depois de vocês mesmas para acompanhar e se sentirem vitoriosas. Fiquem mais bonitas, mais cheirosas, mais bem arrumadas, mais gostosas e participem de grupos de amizades online, quer seja para namoro ou só azaração. Não se envolvam com os comedores de plantão desses sites, a menos que você esteja certa que encontrou o cara ideal pra sua vida. Observem na procura que acontecerá por seu perfil, analise cada sujeito que te elogiar e suas abordagens, sejam as donas da verdade e entendam que homem para transar com vocês será apenas estalar os dedos, mas não é essa a ideia, e sim treinarem o empoderamento pessoal, aprimorarem a beleza física, sensual e tornarem a malícia como escudo de proteção de xavecos baratos. Até os ex-companheiros vão perceber suas existências no planeta. Mas não os deixem retomar a vida com vocês, permitam que também se reinventem e que promessas, vozes melosas, abordagens envolventes não são o suficiente para convencê-las de que estejam interessantes para novo investimento. Geralmente um misógino solitário não vale o investimento nem o perdão, muito menos a esperança. Então, tenham mais consciência de que 50% da culpa de não ter dado certo é de sua inteira responsabilidade, e quando tiverem numa nova relação cuidem melhor do percentual de suas partes para não perecerem, novamente, no vacilo de perder os 50% das ações de suas partes. Boa sorte e ótimos investimentos.

Rodrigo Caldeira

Publicado por Rodrih às 23:11 | Link do post

Divino Criador: Pai, Mãe, Filho, todos em Um,

Se eu, minha família, meus parentes e antepassados

Ofendemos tua família, parentes e antepassados

Em pensamentos, palavras, fatos ou ações

Desde o inicio de nossa criação até o presente;

 

Nós pedimos teu perdão

Deixe que isto se limpe, purifique, libere

E corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas

Transmuta essas energias indesejáveis em pura luz. E assim é.

 

Para limpar meu subconsciente

De toda a carga emocional armazenado nele,

Digo uma e outra vez durante meu dia

As palavras chaves do Ho'oponopono:

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Me declaro em paz com todas as pessoas da Terra

E com quem tenho dívidas pendentes

Por esse instante em seu tempo

Por tudo o que não me agrada de minha presente vida

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Eu libero todos aqueles de quem acredito

Estar recebendo danos e maus tratos

Porque simplesmente me devolvem

O que eu os fiz antes

Em alguma vida passada

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Ainda que me seja difícil perdoar alguém

Eu sou quem pede perdão a esse alguém agora

Por esse instante em todo tempo

Por tudo o que não me agrada de minha vida presente

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Por este espaço sagrado que habito dia a dia

E com o qual não me sinto confortável com isto

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Pelas difíceis relações das quais guardo somente lembranças ruins

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Por tudo o que não me agrada na minha vida presente

De minha vida passada, de meu trabalho

Ou o que está ao meu redor

Divindade, limpa em mim o que está contribuindo com minha escassez

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

 

Se meu corpo físico experimenta

Ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor...

Pronuncio e penso: minhas memórias, eu te amo

Estou agradecido pela oportunidade de libertá-las a vocês e a mim

Eu sinto muito, me perdoa, obrigado, eu te amo.

Neste momento afirmo que ...eu te amo.

 

Penso em minha saúde emocional

E na de todos os meus seres amados...te amo

Para minhas necessidades e para aprender a esperar sem ansiedade, sem medo

Reconheço as memórias aqui.....sinto muito, te amo.

 

Minha contribuição para a cura da Terra

Amada Mãe Terra, que és quem Eu sou

Se eu, minha família, meus parentes e antepassados

Te maltratamos com pensamentos, palavras, fatos e ações

Desde o inicio de nossa Criação até o presente

Eu peço teu perdão

 

Deixa que isto se limpe, purifique, libere e corte todas

as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas.

Transmuta estas energias indesejáveis em pura luz. E assim é.

 

Para concluir, faço de teu conhecimento

Que este áudio é minha contribuição

À tua saúde emocional

Que é a mesma minha

 

Então esteja bem.

E na medida que tu vais te curando, eu te digo que

Eu sinto muito pelas memórias de dor que comparto contigo.

 

Te peço perdão por unir meu caminho a ti para curar

Te dou as graças porque estás aqui por mim

E eu te amo por ser quem és.

Expanda seu campo de energia sensorial
se permita receber o que a Vida tem para lhe dar
diga sempre que sentir vontade:

Tudo na vida vem a mim
com facilidade, alegria e glória

 

Todas as vezes que você sentir-se frágil
diante uma situação no dia-a-dia
não diga mais o problema, nem sua situação,
apenas fique na pergunta:

Universo: O que mais é possível?

Como posso melhorar tudo isso?

Universo, como obter mais disso?
(Se for uma coisa leve e agradável!!!)

Experimente isso e comente aqui suas experiências de resultados!
Espero ter contribuído com sua alegria e cura.

 

 

Publicado por Rodrih às 13:06 | Link do post

PRECISAMOS DO SOFRIMENTO ALHEIO

Sem título-1.gif

 

Todas as vezes que você sofre de amor, culpa e remorço por alguém acontece um fenômeno da física quântica com a energia sensorial, entre você e essa pessoa. É a lei universal da polaridade, do ritmo e da causa e efeito (leia mais sobre isso clicando aqui - irá abrir uma nova janela, leia tudo e depois continue daqui). E funciona de maneira simples de entender. Fiz esse desenho para que ficasse fácil de explicar. Considere que sua cabeça é uma antena parabólica (leia mais sobre isso clicando aqui), então todas as vezes que você emana um pensamento para uma pessoa ela receberá sua energia sensorial, independentemente se ela perceber ou não. Ela sempre será conectada a você sutilmente. Daí acontece algo interessante nesse processo de transferência de energia sensorial, que se origina do seu sentimento de culpa, de "sofrência" ou remorço, então sua mente emanará toda sua energia positiva para a pessoa pretendida ao seu sofrimento, e essa energia voltará com toda a carga negativa em seguida. E o que isso significa é que a pessoa a quem você pensa - descarregando sofrimento de amor inalcançado ou rompimento por culpa sua, ou mesmo por remorço de ter feito algo que a afastasse de você - receberá sua valiosa energia e terá mais sorte, mais alegria, mais saúde, mais chances de conhecer alguém interessante nesse período de suas lamúrias, do que você mesmo gostaria ou imaginaria ser possível. E exatamente neste mesmo intervalo de tempo, você declinará, ficará com menos sorte, menos saúde, menos chances de conhecer alguém interessante. São as leis universais do ser vivente e que ninguém escapa de seus efeitos. Sendo assim, se alguém te causou algum mal e te deixou desamparado, ou se a pessoa foi embora porque você pisou na bola, e mesmo que tenha se arrependido não conseguiu nova chance, saiba que se quiser que ela padeça longe de você basta que viva o melhor que puder a sua vida. A pessoa ex-amada sentirá isso nas pequenas derrotas diárias. Em outras palavras, quanto mais você pensa nela com saudade ou clemência, mais energia positiva ela estará recebendo de você e devolvendo só carga negativa de azar e maus agouros. Eu sou testemunho disso pelas mulheres que saíram da minha vida e o tanto de tempo que sofri suas ausências. Elas simplesmente ficaram melhores e mais felizes, e eu afundei. Depois que percebi esse detalhe que ninguém me contaria, foi que parei de sofrer por tais mulheres. Agora sou mais eu... muito embora seja um exercício diário.

FAÇA POR SI ENQUANTO PODE OU 
TENHA A SORTE QUE PEÇAM POR VOCÊ! 

O entendimento é claro, mas muita gente não sabe. Se sabe, ignora. Então é melhor estar entre os que não sabem, porque se estiver entre os que sabem e não fizer nada, sua angústia por nunca ter tentado será maior do que imagina. A reflexão é extensa e intensa, mas vou falar aqui de maneira sucinta e dinâmica para que possa entender rapidamente. O assunto é sobre sua alma e começa pela pergunta: "Para que viemos ao mundo?"... Oras, deve ter um porquê de tanta gente vir ao mundo, não acha? "Para que temos que chegar ao mundo, viver nele e depois morrer? Qual é o objetivo afinal?"... Os céticos poderiam dizer que não tem objetivo, ou que o objetivo seria este mesmo, nascer, viver e morrer. Mas cá entre nós, faz sentido isso? Faz sentido absorver tantos conhecimentos, viver tantos sentimentos, sofrer tantas perdas - e chorar por todas elas? Faz sentido tantas e tantas pessoas, por milênios, dizerem que existe um ser superior, um Deus, antes vários deuses, e agora o planeta está voltado para assuntos do espírito, mais do que qualquer outro período da história do mundo? Então não deve ser um ponto final necessariamente, e você já era. Senão a humanidade, depois de milhares de anos, já teria percebido que tudo é uma grande furada, em que não teria sentido inventar máquinas, criar coisas, interpretar o universo ou simplesmente ter fé, isto é, seguir uma doutrina de fé. Tem alguma coisa mal contada aí e, certamente está na nossa cara, mas não percebemos. Eu andei fuçando aqui e ali, conversei com gente de toda laia, costumes, crenças, descrenças por todo canto que passei e, pelo o que vi por aí, parece que a coisa é mais ou menos neste pensamento universal (ou divino):

Sem título-3.gif

O Divino lançou um projeto de vida para seus semelhantes. Considerando que o homem é imagem e semelhança de Deus, e sabendo-se que até hoje nenhum alienígena sobrevoou nossas cabeças nos mostrando sua existência, e o máximo que os cientistas estão supondo é que em Marte vez outra correm uns rios, supostamente, de água, e olhe lá; então, até que nos provem o contrário, não existe vida em outros planetas - e, seguindo a linha de raciocínio de São Tomé que só acredita vendo (e nós também), podemos considerar que o Divino (ou Deus) estaria interessado em dar a eternidade para as criaturas que ele criou, isto mesmo, nós, humanos - e neste caso seriam todas as outras galáxias, despovoadas, com seus "oxigênios diversos", que jamais conheceremos como pessoas limitadas que somos, senão apenas imaginaremos. E nisso faria até sentido aquela história bíblica toda de que o encardido, o tinhoso estaria tentando roubar os planos do Divino, porque, cá pra nós, você acha que o diabo não tem mais o que fazer do que ficar enchendo o saco de Deus com tanto espaço por aí? Deve ter algo muito, mas muito, muito gigante e valioso por trás dessa briga de vizinhos, não acha? Seria Deus impedindo a passagem de Satanás por esse portal, que daria acesso à eternidade e todos os sistemas solares além do que temos. Bom, é só uma suposição particular, mas que tem alguma coisa mal contada aí, ahh isso tem! Pois bem, continuando... Então o Divino dá a vida pra uma reca de gente, a fim de povoar esses sistemas solares e tal, mas precisa saber se suas criaturas mereceriam passar pelo portal eterno. E aí é onde estaria o pulo-do-gato, ou seja, a Terra seria o lugar para fazer a bendita triagem, separando o "joio do trigo", isto é, quem fosse do bem e acreditasse na existência do Divino teria sua projeção rumo à eternidade. E quem não fosse do bem, e ficasse infernizando a vida das pessoas perderia a oportunidade de ser escolhido nessa triagem e padeceria ficando preso na Terra, ou segundo os espíritas, voltaria quantas vezes fossem necessárias para corrigir erros passados... vai que... E o objetivo seria viver na eternidade, que nem faço a menor ideia de como seria e nem onde seria... mas certamente ficar voando de lá pra cá seria maneiro. Daí que o Divino ainda daria uma oportunidade de quem estiver na Terra pudesse ajudar a salvar a pele alma daquele que encalhou no limbo, sei lá, no purgatório. E a forma que poderia salvaguardar o infeliz que estaria lá só em alma e sofrendo por suas faltas seria as orações e rogações dos vivos, já que a alma por si só nada poderia fazer para se salvar, e contaria com a ajuda (orações) dos seus entes vivos. Muito embora os crentes não estão nem aí para seus mortos, alegando que morreu tá morto, agora se vira com Deus que não é problema meu, estaria fugindo da regra matriz de Deus que seria "amai uns aos outros" - que, na verdade, Ele não disse "queridos vivos: amai uns aos outros (vivos)", daí que não dá para afirmar se o que o Divino quis dizer fosse para amar só os vivos ou o ser humano como um todo: o corpo vivo ou não, a alma (ou o espírito) continuaria viva. Indo por essa premissa - e até mesmo pelos próprios protestantes (vulgo evangélicos), a alma aflita e encalhada sem conseguir os méritos divinos poderia contar com o clamor dos vivos na Terra, o que "reduziria" a pena deles no limbo:

Sem título-2.gif

Cada um pede (ora, reza, clama) por seu ente querido (ou pessoas amigas etc), o que poderia "contar pontos" para sua salvação, penso.

Sem título-4.gif

 

 

Publicado por Rodrih às 22:31 | Link do post

Postado em 08.05.2011 / Revisado em 20.11.2015

Misandria é a repulsa, desprezo ou ódio contra o sexo masculino. Esta é uma forma de aversão patológica aos homens, enquanto gênero sexual, sendo considerada o oposto da misoginia, que é o sentimento de repulsa e ódio pelo sexo feminino. Etimologicamente, o termo "misandria" surgiu do grego misosandrosia, composto pela junção das partículas misos, que quer dizer "ódio", e andros que significa "homem". Atualmente, o termo "androfobia" também pode ser considerado sinônimo de misandria. Já o oposto, ou seja, a admiração e paixão pelo sexo masculino é conhecido por filandria. Muitas pessoas associam o feminismo como um propagador do discurso misândrico, no entanto, o feminismo, ao contrário do machismo é um movimento político, social e filosófico que defende a igualdade de direitos e deveres entre o sexo masculino e feminino. A misandria é propagada pelo chamado "feminismo radical", também conhecido por femismo, que é considerado o sinômino do machismo (ao mesmo tempo que é o seu oposto), pois trata-se de uma ideologia de superioridade da mulher sobre o homem. O femismo, assim como o machismo, prega a construção de uma sociedade hierarquizada a partir do gênero sexual; baseada em um regime matriarcal. Feminismo e femismo são conceitos completamente diferentes. A misoginia é o sentimento extremo de repulsa, desprezo e ódio contra às mulheres, enquanto que a misandria é o nome dado ao sentimento de raiva ou aversão praticado contra o sexo masculino. Existe um debate que questiona o posicionamento da misandria perante a misoginia, devido a importante carga histórica que carrega o preconceito sofrido pelas mulheres ao longo dos séculos. Algumas pessoas acreditam que a misandria surgiu como uma forma de "defesa" das mulheres atacadas por misóginos. Mas também possuem características misândricas, podendo desenvolver a misandria, mulheres no começo da idade madura, 28 anos, até a idade "da loba", 45 anos. Algumas características são: Falta de desejo sexual por motivos de que os homens não sabem valorizar a mulher que ela é. Necessidade de apontar o homem como a causa de sua exclusão social. Vitimismo constante. Gostar de textos, gravuras e charges que denotam o homem como ser grosseiro, infiel, desonesto ou mentiroso em comparação à mulher como ser decidido, fiel, delicado, honesto e verdadeiro. Dificuldade de se relacionar sem antes fazer uma sabatina na vida do pretendente (a sexo ou a relacionamento). Romantismo exagerado se pondo como a mais delicada das mulheres na Terra. Defender a ideia de que todos os homens são promíscuos. Geralmente, mulheres com misandria são sozinhas, muito embora se comuniquem normalmente com os homens passando uma impressão de serem resolvidas, interessantes e sexys, costumam atribuir toda sua infelicidade e a desgraça do mundo ao sexo masculino. Dissimulações, em que o homem passa a ser apontado por amigos e parentes como o responsável por seus dissabores. Se você está com uma mulher dessa na sua vida entenda que: 1. Você não terá sexo com ela (e prefira não ter, se não quiser amargar com uma cobradora na sua cola, com cobranças de mais presença, mais entrega, mais confiança etc). 2. Você não conseguirá convencê-la de que ela possui a misandria, e ela te odiará mais ainda depois que disser isso. 3. Evite estar perto dela, aliás, evite-a sempre que puder, pois é o tipo de mulher que não vale a pena o menor dos esforços para estar junto ou próximo.

Publicado por Rodrih às 15:20 | Link do post

mãe.jpg

Tenho mais de 40 anos de idade, sou um homem cabeça feita, às vezes um tanto imprudente, mas sou formador de opiniões, crítico e deveras intelectual. Tenho amigos e amigas mais novos e de idades próximas à minha, alguns que já perderam suas mães. E é sobre isso que venho refletir aqui, a perda de uma mãe. Certamente não tenho poupado minha mãe de meus arrancos e minhas atitudes ofensivas, muitas vezes ignorante, e bote ignorante nisso. Obviamente, me sinto extremamente mal após ter agido assim, é muito ruim a sensação, ainda mais quando percebo que estou com um pouco mais que 40 anos, o que me confirma que minha mãe terá pelo menos uns bons anos a mais do que eu, pelo menos 25 ou 30 anos. E isso me dói. Me dói lembrar de amigos e amigas que não tem suas mães para poder sequer conversar, pedir um conselho, dar um abraço ou mesmo fazer showzinho de birra. E quando penso nesses amigos e nas amigas órfãs de mãe (e até mesmo de pai) meu coração estremece, minhas pernas mal conseguem sustentar o meu corpo e meus olhos marejam. Minha mãe é tão ativa, mais do que eu tenho certeza. Psicóloga, filósofa, teóloga, professora, mãe, dona de casa e avó. Que mulher fantástica! Como se eu quisesse estar preparado para o dia de não tê-la mais comigo eu antevejo o dia em que eu estiver sozinho sem ela, meu corpo dói, minha cabeça queima, sinto um nó na garganta e meus olhos enchem d'água. A vida pede maturidade até para isso, uma clareza de espírito que não sei se vou dominar um dia, mas serei obrigado a ter essa capacidade sobre-humana. São pensamentos de medo. Pavor, aliás. E não dá para não pensar nisso, porque é como se você ficasse em pé na beirada de um prédio de trinta andares sem estar segurando em nada, e sua mente quase te empurra precipício abaixo, como um ímã do medo que de tanto medo te puxa. Hoje em dia eu tento aproveitar o máximo que posso e do que não posso, não que eu já esteja esperando a pior notícia, até porque, como eu já disse aqui, minha mãe é muito ativa, esperta, agitada e ninguém segura essa mulher. Mas o tempo é o tempo, não vou me fazer de desentendido e me iludir de que o tempo só serve no relógio. O tempo está em todos os lugares, e com ele vêm todas as atenções. Procuro não tocar no assunto de mães para amigos e amigas que não as têm, e nem fico tentando imaginar como é estar sem elas, muito embora seja quase inevitável pensar vez outra. O mundo se torna vazio ou pelo menos sem diversão, a graça de sentir graça também escapa entre os dedos. A saudade é insignificante quando o assunto transpassa o sentimento de falta. É inimaginável sentir tanta ausência. É loucura. E eu abuso e uso de minha mãe, não no sentido de exploração, pois até aprendi a passar minhas roupas (principalmente camisas sociais, que tinha pavor só em imaginar), mas ao ver minha mãe deixando o prato de almoço para passar uma camisa para mim, isso foi o fim e a raiva que senti por ser tão incompentente me tomou por completo. Tudo bem que queimei algumas camisas, também saí algumas vezes com uma parte passada e outra amarrotada, mas eu dominei o ferro de passar roupas e hoje eu passo minhas roupas com eficiência. E como cansa passar roupas! Então vejo que minha mãe já não precisa se anular para me servir, aliás, tirando minhas birras por pura falta de vergonha na cara mesmo, o resto eu tenho aproveitado deliciosos momentos com ela. Brincadeiras, provocações, muitas conversas e fofocas. Como nossas mães gostam de uma fofoquinha... me divirto. Tento transceder minha mente e meu espírito para uma compreensão profunda e harmônica para o ciclo da vida humana. Eu também, um dia, deixarei a vida terrena e se tudo o que tanto se acredita for real e verdadeiro, seguirei em consciência e espírito para algum lugar. Vejo que a vida é uma constante luz de superações e aprendizados, não se foge disso e nem se conserva. Não se domina, nem se armazena. A vida segue, continua e vai sem pensar em voltar. Não avisa quando nem onde, nem que forma ou momento, simplesmente parte, num descaso e desprezo pelo corpo e por todos os demais à sua volta, que nos faz sentir insignificantes e desprezíveis. Não há despedida, não há comentário, nem mesmo um sinal, simplesmente a vida segue, transpassa nossa compreensão e some. Tenho um primo que prezo e considero mais do que muitos demais, e ele perdeu a mãe, e há pouco tempo o pai. Ainda que tia e tio, minha compreensão da perda de mãe e pai está aquém do aquém, do aquém que ele e minhas primas sentiram. Mas é justo que este seja o ciclo, ainda que nos fira o coração, por isso eu sinto que é muito importante que cada dia eu possa aprender a viver intensamente os momentos com minha mãe super-sônica. Muitas vezes me pego chorando, deitado antes de dormir, num sentimento de perda profundo, doído e desamparado. É algo que não consigo controlar, pois é quando começo a dormir e vem um súbito pensamento de perda de mãe e pai. E a descarga elétrica que meu corpo produz desbaratinando meu cérebro, minhas vistas e meu corpo todo são a tradução do pavor dessa perda. Então peço para Deus abençoá-los, minha mãe e meu pai, e quase como um mantra do sono consigo relaxar e dormir. Tem momentos que minha mãe passa dos limites e minha paciência se converte numa irritação sem noção, mas depois que passa um tempo eu me sinto um ignorante, então vou e passo perto dela pra sentir a energia. Se tiver boa ou razoavelmente aceitável puxo assunto e troco ideia (com a cara de pau mais lavada do planeta), e tudo volta à estabilidade emocional necessária. E assim vou aprendendo a viver a maravilhosa experiência de ter a minha mãe, ainda que a divida com muitos e ela até os paparique mais do que a mim, mesmo assim é um prazer dividi-la com outros, pois cada vez mais sei da importância desse papel divino que é ter mãe, tanto como ter pai, também. Se eu pudesse aconselhar alguém que tem mãe e/ou pai, que deixasse de ser nocivo e passasse a ser bom filho e boa filha, porque é impagável tê-los entre nós. 

Publicado por Rodrih às 02:04 | Link do post

Venho ao longo dos anos tendo cada vez mais entendimento de que não devo/devemos acreditar no amor. Partindo do princípio lógico de que por amor Deus criou a Terra e seu firmamento, e depois de um monte de blablabla ele criou Adão e Eva, que pisaram na bola e foram expulsos do paraíso, mas por amor Deus poupou aos dois e entram aí mais um monte história. Por amor uma porrada de gente morreu no dilúvio por amor aos inocentes, as Cruzadas matou muita gente senão por amor a Deus, certamente por amor a alguém, como Tristão e Izolda, Paris morre por Helena em Tróia, Romeu por Julieta etc. Cristo foi crucificado por amor à humanidade. O amor já tentaram explicá-lo em Lusíadas, mas Camões falou, falou e não concluiu nada. Em os Coríntios, alguém do timão bíblico falou um monte de coisa e no fim não disse coisa com coisa. Por amor a mulher dá a luz e sente as dores do parto. E como bem diz Nando Rosa, eu matei o amor por tantas vezes e o que será de mim? Busquei o amor em casamentos e não encontrei senão só a minha ignorância de amar quem não me amava, mas talvez as condições que eu proporcionava. Busquei o amor longe e a decepção veio do mesmo lugar desse porto (in)seguro. Tenho vivido o amor a prestações, ora febris, ora pálidos. Sonhei com o amor por quase toda a infância, passei a adolescência amando ninguém, simplesmente porque vislumbrava o sentimento de como seria maravilhoso amar alguém. Na juventude amei muito nos amores platônicos, mas nunca perdia o foco no amor. Meio adulto amei e amaram minhas condições propoentes. Amei tanto o amor que aos dezesseis anos vi o rosto da mulher amada numa meditação, justamente 24 anos depois a encontrei, a conquistei, fui de encontro à ela a 1600 km de distância e ela me traiu meses depois. kkkkkkkk e ainda dizem que o amor é lindo. Era engraçado isso. Tinha ocasiões na juventude, que eu sentia tanto amor que me apaixonava pelo amor em si. Simplesmente eu estava amando, mas amando quem? Ninguém sabia, e nem eu. O amor simplesmente não me suporta, e eu agora entendi isso. Também não tenho mais paciência com ele. Metido, orgulhoso, sacana - o amor se acha. Amei cada uma das mulheres que tive a parcela para mim - não foram muitas, é verdade, mas as que tive ora me feriram, ora me adoçaram a vida um pouco - meu olhar, meus gestos, minhas massagens, meus toques, meu tratamento, tudo o que fiz foi com um sentimento de amor intenso e direcionado, nada foi padronizado, nada foi calculado, muito embora tenha quem pense que sou estratégico. Perdi o medo da chuva, do bicho papão, papai noel ou mesmo de fantasma, na verdade nunca vi um, nem espírito, nem alma, nem nada com os olhos que tenho. Então estou estando. Tenho estado. Andei nuns pegas, vi que sou bom nisso, não só sexualmente mas psicologicamente, já que enquanto estou praticando, também estou trabalhando a psicologia do tantrismo e o psicológico da amada, algo que me levanta muitas reflexões durante minhas entregas. Uma amiga me disse que existe o lado ótimo disso tudo que eu falei e existe o lado "que saco, dá só pra curtir não?". É verdade, eu me comparo muito com o filme "entrevista com vampiro", em que  Lestat de Lioncourt (Tom Cruise) disse que na época em que a peste assolou a Europa, eles tiveram que substituir sangue humano por sangue de sapos. E é mais ou menos assim que me vejo, aliás, é assim que vejo muitas pessoas fazendo - não que o sapo seja visto pejorativamente, mas visto como um animal disponível na ocasião e livre da peste por estar nas lagoas e não nas cidades, e eu poderia me referir às cabras, coelhos, enfim, mas estes também estavam infectados. Ou seja, na ausência do amor pelo amor somente, à medida de minha inquietação, exigências, vontades, desejos e interesses, eu me alimento de paixões momentâneas, corriqueiras, gozos calculados, e agrego um espírito empreendedor, altruísta nisso para que não se torne tão monótono, já que quando tive a experiência de que a coisa se torna monótona eu deveras brochava. Talvez contasse nos dedos de uma só mão aquelas que vivenciei o momento intensamente, sem empreendedorismo, mas com muita entrega. Não que eu seja frio e calculista, nem que eu brinque com os sentimentos das pessoas, mas expresso algo verdadeiro, honesto e isso vai bater contra conceitos pré-formados para muitas pessoas. O nosso humano não foi preparado para a honestidade, estamos sempre nos cobrindo com véus, máscaras. Nos iludimos à medida que podemos, porque não queremos ver a verdade nua e crua, não aceitamos o óbvio e queremos vestir de beleza as coisas feias e nocivas para nós. E continuando a reflexão, não sou dado ao sexo pelo estímulo das putarias, sou romântico até nesse quesito. Às vezes me apaixono profundamente, e ironicamente as cobranças que me fazem também me convencem que me apaixonar é uma armadilha, um erro a ser evitado. Mas se é para sair comendo a torto e à direita, sinceramente, prefiro as punhetas. Estou no ápice de meu fetichismo masculino, numa espécie de Casanova com Don Juan, tenho prestado consultorias gratuitas a pessoas com deficiência nos relacionamentos, justamente porque se comportam extremamente mal, erradas com elas mesmas, erradas com a pessoa amada, não se entregam, mas negociam suas entregas, como se negociassem um refém. Aliás, são pessoas que se portam refém da relação e com isso passam a odiar seu possessor. Homens mentirosos, mulheres tolas. Sempre a mesma coisa, tudo igual, só muda o nome dessas pessoas e seus endereços. E isso também já está me cansando. Casar duas vezes foi a pior burrice que cometi em toda minha vida. Não tinha preparo físico porque não transava como transo hoje - apesar que já brochei duas ou três vezes por puro desinteresse de estar ali, simplesmente agindo pelo instinto bruto e ignorante do encontro, isto é, o sexo sem sentido, o sexo pelo sexo e nada mais, cumprindo metas masculinas de varão, e isso faz minha mente girar. Detesto esse tipo de conclusão sexual, não tem o menor sentido encontrar uma mulher para simplesmente comê-la sem sequer ter havido um convívio, um porquê, uma motivação maior do que a meramente sexual. Não é comigo esse comportamento irracional, por mais que deliciosa que seja a mulher, tem que haver algo mais inteligente do que simplesmente ficar pelado e trepar. Certamente há explicação para tudo.e em meu psicológico eu não estava apto para constituir família, mal tinha cabeça para cuidar de uma família de hamisters, o que dirá uma nova família para mim. Deus me assustava e muitas vezes me inibia sexual e até masculinamente. E despreparado namorei uma linda moça sem estar pronto para isso, fui meio que super protetor, e isso foi uma extensão do que também fui para as ex-mulheres. Hoje estaria pronto, talvez não veria graça nessas mulheres com quem me envolvi sentimentalmente, na verdade nunca estive tão pronto como estou hoje, mas por ironia do destino não há a disponibilidade na safra de minha horta à colheita de um fruto que eu realmente tomaria para mim. É engraçado isso, a vida brinca com a gente. No momento em que não temos condições de ser alguma coisa para alguém, mulheres interessantes surgem para nos provocar decisões, empregos ou oportunidades de grandes negócios caem do céu na nossa frente, justamente porque não temos a competência para agarrá-lo. E no momento em que estamos preparados só ouvimos o silêncio e os grilos e do vento que empurra o novelo de espinhos deserto a fora. Obviamente, que não acontece muita coisa na minha vida sentimental, justamente porque eu não me permito que aconteça. É tudo tão instável, tão momentâneo... Essa amiga me recomendou um psicólogo, pôxa, mais uma que acha que não sou normal... hahaha... (uma vez perguntaram não sei pra quem, acho que foi para o Lobão se ele era normal. E a resposta foi interessante: "De perto ninguém é normal") e eu não quis desfazer da tentativa dela, mas certamente ela perdeu o tesão de tentar me ajudar, ainda que não tivesse pedindo ajuda. Minha cabeça não precisa de tanto raciocínio para entender o que se passa comigo ou saber o que preciso fazer. Sei o que preciso e sei como fazer, só não tenho a condição ideal para isso, muito embora há dois pensamentos em mim: O primeiro de que mesmo não tendo oportunidades de me relacionar, já me dei por satisfeito dessa novela toda, logo não me incomoda o fato de não ter alguém, sinto falta às vezes, mas não é o fim. O segundo se dá pelo status social, o prestígio, já que em algum momento isso será corrigido em minha vida e não quero estar envolvido com qualquer pessoa que pegue carona na nova fase que viverei, posso estar sendo egoísta, mas se pararmos para refletir, geralmente a fase que você vive não é a mesma que a pessoa que está com você estará vibrando, daí geram os conflitos e a herança disso são tristeza e separação. Entretanto, também estou preparado para o que der e vier, já que tenho uma gama de opções nas mulheres que conheci e que gostaram de mim. E se elas lerem este post? Bom, serão justamente as que eu não precisarei mais contar para alguma coisa relacionada ao sentimento, mas quem se importa? É como a mosca na sopa, você mata uma e vem outra no lugar. Ninguém fica sozinho, se ficar é porque quer ou não sente falta. Ou é uma pessoa tão cheia de paranóias que consegue fazer com que as pessoas se afastem dela. Sempre se conhece alguma pessoa legal ou desesperada por alguém, e isso acontece desde que o mundo é mundo. Então essa amiga me indicou um psicólogo muito conceituado, encheu o cara de flores e plumas, quase pensei que estivesse falando de um super star, mas, sinceramente, este psicólogo é como outros que buscam alternativas mais convincentes, é tão comum quanto qualquer outro, ainda mais seguindo uma linha oriental, alternativa, porque na falta ou ausência de ferramentas ou mesmo de munições da ciência da psicologia tradicional ele fez um guizado misturando a ciência com as tradições. Tudo é válido, mas há para quem é válido, assim como tudo pode ser comido, mas depende quem vai comer e o quê. "Todo dinheiro é válido, depende se você está no país certo", e por aí vai. Para ser mais preciso, é que não há a terapia perfeita ou o terapeuta ideal, tudo está em você, e o profissional ou a pessoa que está na sua vibe só faz despertar isso. Não há segredo na vida, tanto que até o próprio Cristo dizia "a tua fé te salvou"... percebe o que estou dizendo? Se você não quiser mudar, não há Jung ou Freud que mude você. Em Star Wars o Jedi Mestre Yoda diz "em você a força está", Ghandi também se referia a força interior, Mahadeva Shiva traz em sua literatura o universo de benfeitorias que seu Eu disponibiliza para você. Em Matrix,  Thomas Anderson (Keanu Reeves) é um entre os milhões de seres humanos adormecidos, que resolve acordar para dentro de si e ver um mundo novo. Todos, o tempo todo, dizem as mesmas coisas, buscam no outro a solução para problemas que são gerados dentro de suas próprias mentes. Não há segredo! É tudo uma questão de observação do observador e do observado. A amiga bem disse que existe conhecimento no mundo que sequer conseguirei alcançar em sua totalidade nessa vida existe a percepção do outro, que está para além desses conhecimentos, conhece coisas das quais eu falo e desconhece outras tantas também. Continuou dizendo que acontece que eu tenho mesmo um conhecimento gigante, mas às vezes parece que eu me perco em coisas simples e pequenas que estão à minha frente e por isso a sugestão (não aceita) do psicólogo. E continuou dizendo que gostaria que eu me percebesse nessa simplicidade que eu me pareço me perder às vezes. Engraçado é que sim, concordo com ela, e o ato de me perder é como a fumaça do vapor acumulado da maria-fumaça, precisa ter um escape de fraqueza, senão a pessoa pira. Todos nós precisamos nos perder vez em quando, é um ato de purificação ou de renovação química neural, senão ficamos chatos, ranzinzas, frios e mecânicos. Levo comigo um segredo, na verdade é uma observação, um conceito meu, obviamente não é científico, até porque quem sou eu para servir de base na cadeia acadêmica: Três fatores deprimem o ser humano: ausência, excesso e frieza. Três fatores estabilizam o ser humano: beleza, status e desejos. Três fatores estragam o ser humano: ausência de beleza, ausência de status e ausência de desejos. Então com esses fatores se consegue fazer a matemática do perfil de uma pessoa. Não tem erro. Já testei e venho testando há mais de dez anos. É bingo sempre. Se a pessoa tem excesso de coisas, qual é a primeira coisa que vem à cabeça? Oras, que quem tem mais reparte com quem tem menos, é óbvio. Mas quando essa pessoa tem mais e se torna fria com o muito que tem, ela se deprime, pois seu poderio perde o sentido. E se ela não tem muito, ou quase nada? Qual é a primeira coisa que vem à mente? Que essa pessoa parta para conquistar as coisas. Mas quando essa pessoa tem pouco ou quase nada e se torna fria com o pouco que tem, ela se deprime, pois não terá nada a perder, e não tendo nada a perder, ela já perdeu e estará perdida. E sua estabilidade está na beleza, porque todas as pessoas tem um quê de vaidade, até índio tem vaidade! Está também no status, porque todas as pessoas do planeta ostentam alguma coisa, justamente porque o status gera reconhecimento, que gera respeito, e sim, até índio tem status. E está nos desejos, porque os desejos sexuais, materiais, mentais, físicos, alimentares dentre outros dignificam o ser humano e o faz sentir-se vivo. E o que estraga qualquer humano é a ausência desses três fatores: beleza, status e desejos. Qualquer pessoa que tiver um problema e quiser resolvê-lo estará com excesso ou ausência, e a frieza será identificada nessa cabeça. E qual é a resposta para essa pessoa? Seja bonita, tenha reconhecimento, isto é, status e pratique seus desejos. Pronto, está curada. E tudo isso foi para dizer que não será um psicólogo que me trará soluções para o que preciso, já que a solução acabei de dizer. Certamente quem ler este post até aqui me julgará indigesto, insensível e até imaturo. Não tem problema, esse texto é uma obra de arte agressiva sim, como são as pinturas de Frida Kalo, são surreais, como as pinturas de Salvador Dali ou mesmo dirão que são assombrosas, como as gravuras de Goya. É um grito, um desabafo, um pedido de socorro em mim, como diz a letra de Ney Matogrosso no Sangue Latino, principalmente porque jurei mentiras e sigo sozinho, e assumo os pecados. Eu sou indisfarçável, mas não sou farsante. E o amor? Bom, o amor é como a morte, um dia você dará de cara e não terá escapatória. Mas certo mesmo é a morte. 

Publicado por Rodrih às 09:43 | Link do post

Lua e Flor

Oswaldo Montenegro

Eu amava
Como amava algum cantor
De qualquer clichê
De cabaré, de lua e flor

Eu sonhava como a feia
Na vitrine
Como carta
Que se assina em vão

Eu amava
Como amava um sonhador
Sem saber porquê
E amava ter no coração
A certeza ventilada de poesia
De que o dia, amanhece não

Eu amava
Como amava um pescador
Que se encanta mais
Com a rede que com o mar
Eu amava, como jamais poderia
Se soubesse como te encontrar

Eu amava
Como amava algum cantor
De qualquer clichê
De cabaré, de lua e flor

Eu sonhava como a feia
Na vitrine
Como carta
Que se assina em vão

Eu amava
Como amava um pescador
Que se encanta mais
Com a rede que com o mar
Eu amava como jamais poderia
Se soubesse

como te encontrar

Publicado por Rodrih às 23:25 | Link do post

em 15 de Julho de 2009

15:46:32 

Direto do túnel do tempo


 

 

Agarras-te à hora em que o tempo não passou,

mergulhas nas cores que a loucura te emprestou...

E quando te vês para lá do espelho encontras a solidão...

Descobres o mundo de quem tem pouco a perder

e sobes às estrelas que ontem não podias ver...

e perdes o medo de estar só no meio da multidão...

 

(Jorge Palma - "Com uma viagem na palma da mão")

Publicado por Rodrih às 22:04 | Link do post
Estado de Espírito:
Publicado por Rodrih às 01:18 | Link do post
Estado de Espírito:
Publicado por Rodrih às 11:56 | Link do post
Estado de Espírito:
Pontos vermelhos = acessos no mundo!
VISTO POR
fast stats
Get Voip Service
Comentários
Oi Bruno, eaê brow, situação complicada essa hein....
Dúvida muito pertinente :)
Eai irmão,Acontece comigo em meu trabalho, tenho n...
Vivo o mesmo que você.. 14 anos! Desejo que ele mo...
No final, eu também não entendi o que você quis di...
No final embaralhou tudo, ficou tonto.
Priscilla Vicente, obrigado por compartilhar sua f...
Rodrigo vivi 10 anos de tortura com um misógino,ma...
Obrigado por comentar e interagir! É mágico quando...
Muita coisa faz sentido né, muita coisa não perceb...
O-bri-ga-do por comentar e fico feliz por ter gost...
Obrigado gatinha pelo comentário, por ler constant...
Caro Fulanão, obrigado por ler e apreciar o post s...
Olá Anônimo, boa noite, obrigado por comentar, mas...
Ops, dedo nervoso clicou em aprovar e pluft, foi-s...
Ligação foi interrompida por outra que pessoalment...
Texto muito interessante, e acredito que muitas co...
obrigado pelas dicas, vou começar agora em 2017 eu...
Rodrigo, precisei comentar aqui pra agradecer pelo...
Pois eu desejo a você, Rodrigo das Águas mais limp...
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar
 
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 comentário
Mensagens
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
SAPO Blogs